Por: Revista Saber viver Mais

Mas calma! Ainda não estamos nem de longe com a contaminação controlada. Entretanto essa é a primeira vez, desde abril, que o ritmo de transmissão da doença está desacelerando.

A informação veio do centro de controle de epidemias do Imperial College, que revelou que a taxa de contágio (Rt) registrou na semana que iniciou no domingo, 16, foi de 0,98, ou seja ficou abaixo de 1 que prática significa que um infectado transmite o vírus para menos de uma pessoa.

Não relaxar nas medidas preventivas

Devemos comemorar este retrocesso, mas ainda não se pode relaxar em nenhum instante nas medidas protetivas, porque a doença ainda não está estabilizada e não existe disponível no mercado uma vacina comprovadamente eficaz.

Os dados foram apresentados foram baseados na atualização feita no fechamento da semana epidemiológica 33. Nesses novos dados o Brasil que aparecia por 16 semanas consecutivas como um dos países com a doença ativa, saiu da lista.

Mas a nosso posição está longe de ser considerada boa, somos o 39ª pais com maior taxa de contágio e um rol de 68 países avaliados.

Contágio na América Latina

Junto com o Brasil existem mais sete países da América Latina que estão com a transmissão do vírus mais controladas.

Os piores países da América Latina com índices de contaminação hoje são:

Argentina, com RT de 1,42;
Honduras com RT de 1,36;
Colômbia com RT de 1,26;
República Dominicana com RT de 1,25;
Bolívia com RT de 1,16;
Venezuela com RT de 1,16;
Guatemala com RT de 1,11.

Hoje na América do Sul o país mais preocupante é o Paraguai onde a transmissão está descontrolada e atingiu o índice de RT de 1,95, atualmente o pior em todo o mundo.

Com informações: SNB
Imagem Capa: Fotos Públicas

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS