O Dr. Dong Tian deixou de ser um jovem médico experiente e se tornou um herói que agora é velado por seu povo, Dangyang e toda a China. Porque este anestesiologista, que trabalhou sem parar por 35 dias em um hospital de Hubei , faleceu no sábado pela manhã de um derrame . Isso foi uma semana antes de seu aniversário de 30 anos, tendo sido internado por 19 dias antes de sua morte e se tornando um novo mártir para seu país.

Lembre-se de que Hubei, a província onde Dong Tian trabalhava, é o epicentro do coronavírus , surgindo na cidade de Wuhan, e depois se expandindo pelo mundo, alcançando números como os das quase 379.000 pessoas infectadas e pelo menos 16.860 mortes. produto da COVID-19 globalmente.

A região e a nação, que aliás, depois de serem os primeiros atingidos por essa pandemia, começam a se recuperar. Como, apesar de acumular o número preocupante de mais de 81 mil infectados e mais de 3.200 mortes , atualmente existem cada vez menos casos de infecções, com dias em que esses casos foram reduzidos a um caso de nova infecção a cada 24 horas.

As pessoas que permitiram isso eram médicos como Dong Tian, ​​que trabalharam sem parar durante a ameaça dessa pandemia em seu país. Quem, depois de passar mais de um mês dedicado exclusivamente ao seu trabalho e combatendo o COVID-19, recebeu um descanso, ficando em quarentena. Foi lá quando ele começou a ter uma súbita dor de cabeça , até que sua capacidade de falar se perdeu. 19 dias depois ele faleceu.

“O camarada Dong Tian foi eficiente e proativo em seu trabalho (…) Ele respeitava os líderes e era gentil com seus colegas (…) Dong Tian é um dos principais representantes dos ‘médicos milenares’ (…) Ele usou sua vida para expressar sua benevolência e amor como médico. Ele sacrificou sua juventude e paixão por sua carreira médica.”, Declaração do Hospital Popular de Zhijiang , onde o Dr. Dong trabalhava.

Outro herói que se vai… deixando sua esposa e pai doentes . Mas se orgulha de ter sido parente de um homem que deu a vida para enfrentar uma epidemia que custou muitas vidas e que, graças aos esforços de pessoas como ele, pouco a pouco ele está conseguindo ser detido em seu país.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS