O coronavírus transformou beijos e abraços em armas mortais. Infelizmente, a pandemia é altamente contagiosa, portanto o isolamento é a melhor maneira de evitar o contágio.

Casais separados, pais e filhos sem se visitarem e também avós que sentem mais falta do que nunca, muitas pessoas foram afetadas emocionalmente.

Esse foi o caso de Maureen, que teve que ficar em casa porque ela era um “grupo de risco”. Ela sentia tanto a falta dos netos que conseguiu vê-los com segurança. Comprou uma fantasia de unicórnio, higienizou-a e saiu para dar-lhes um grande abraço.

Assista  o vídeo emocionante dessa reunião:

Nova Jersey já suspendeu sua restrição de ir às ruas, já que a pandemia já é relativamente controlada. No entanto, Mareen Sweeney é um grupo de risco, devido à sua idade. Portanto, deve se abrigar e evitar o contato o máximo possível.

Mas sentia tanto a falta dos netos que não conseguia se conter. Ela pensou que não apenas ela estaria correndo riscos, e não queria expor seus netos e conseguiu encontrar uma solução.

Como a imagem mostra, as avós têm uma fraqueza por seus netos. Dizem que se os pais são os que criam, os avós estragam. Será certo?

O problema é que Maureen comprou uma extravagante roupa de unicórnio rosa, higienizando-a e cobrindo todo o corpo, tudo para evitar o contato direto. Eles moram no mesmo bairro, então foi suficiente caminhar alguns metros para ver seus filhos.

Eles correram para abraça-la!


Captura de tela (Gerenciamento de direitos do YouTube)

Sem dúvida, foi um momento de pura felicidade, onde todos ficaram animados. Eles sentiam tanta falta um do outro que provavelmente se lembrariam disso por toda a vida. Além disso, tudo foi gravado em um vídeo viral, com milhares de comentários comemorando a iniciativa de Maureen.

O coronavírus não deve ser encarado como uma doença simples. Enquanto muitos se afastam e se afastam de seus entes queridos, como Maureen e seus netos, outras pessoas irresponsáveis ​​quebram as regras e andam por aí como se nada tivesse acontecido. Vamos estar cientes, a vida de muitas pessoas está em risco.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS