Um momento horrível foi vivido no México quando a enfermeira Elizabeth Carolina Lira foi agredida verbal e fisicamente por seus vizinhos porque temiam que ela os infectasse. A profissional de saúde se dedica ao tratamento de pacientes infectados com COVID-19 no Hospital Regional de Alta Especialidad del Bajío.

O ataque ocorreu quando Lira estava ajudando sua mãe em sua barraca de comida. Vizinhos chegaram dizendo que a mulher era um “lixo” e que infectaria suas famílias, disse a enfermeira em vídeo publicado pela mídia local.

Lira disse que os agressores jogaram sua mãe no chão, causando um ferimento na cabeça. A enfermeira queria defendê-la, mas uma mulher agarrou seu cabelo e a jogou. No chão, ela sentiu golpes na cabeça e no pescoço. O irmão do agressor chegou para lhe dar outro golpe. “De uma forma muito brutal, com ódio, com fúria” , disse Lira, segundo o Infobae . Após o ataque brutal, a enfermeira ficou com uma entorse cervical.

Por fim, a enfermeira denunciou uma mulher e um homem ao Ministério Público pelos ferimentos que sofreram. A enfermeira comentou que desde maio passado os vizinhos a perseguiam.


Heliot Rizo

“Disseram que era lixo e que ia infectar toda a família. Eu senti que eles iam me matar, foi com tanta coragem e fúria que eles me bateram que realmente pensei que iria morrer ”, disse ele segundo o El Universal .

“Eles já haviam me ameaçado quando a pandemia estava em sua curva forte, em maio, mesmo aqui quando saí da minha casa aqui, eu estava saindo no carro e um deles se aproximou do meu carro e me disse para sair, que ia me matar porque eu era um lixo e porque eu ia infectar todo mundo ”, acrescentou.

Desde o ataque, Carolina e sua família têm medo de sair para a rua. “Não achávamos que eles conseguiriam isso”, disse ele.

Lira queria deixar um recado após o ataque, para condenar qualquer tipo de ataque físico e emocional contra os trabalhadores de saúde.

“Lamentamos e repudiamos os atos de violência sofridos por nossa companheira e estaremos prestando a ela e a seus familiares afetados os cuidados médicos e psicológicos necessários para sua recuperação. Estamos em estreita comunicação com autoridades do Governo do Estado, da Prefeitura Municipal e da Procuradoria Geral do Estado para garantir a realização das investigações pertinentes”, afirmou em nota.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Bem Mais Mulher

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS