Por: Revista Saber Viver Mais

O fato é que hoje existem centenas de vacinas em desenvolvimento, algumas inclusive já entraram na fase de teste com humanos, porém a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) anunciou nesta quinta-feira (14), que o prazo estimado de qualquer vacina para a luta contra o Covid-19 é de um ano em um cenário “otimista”.

A agência levou em consideração os testes que estão atualmente em execução. “Existe a possibilidade de que, se tudo correr como planejado, algumas (vacinas) estarão prontas para serem aprovadas daqui a um ano”, disse o diretor de estratégia da EMA, Marco Cavaleri, em uma videoconferência.

“São previsões baseadas no que vemos. Mas devo enfatizar novamente que isso seria, na melhor das hipóteses. Sabemos que as vacinas em desenvolvimento podem não ser autorizadas e desaparecer”, acrescentou.

Porém na mesma videoconferência ele ressaltou que podem haver atrasos. Quanto a vacina que pode estar pronta em setembro a EMA disse ser “cética” em relação a esse prazo.

Sobre os temores da Organização Mundial da Saúde, que disse haver possibilidade do coronavírus nunca desaparecer, Cavaleri minimizou a questão.“Eu acho que é um pouco prematuro falar, mas temos motivos para estarmos otimistas de que as vacinas estão chegando”, reforçou.

Por que sabemos que se conseguirá a vacina contra a covid-19, se nunca conseguimos contra o Hiv?

Na verdade só será possível saber se as vacinas surtiram efeito daqui alguns meses quando forem testadas, porém o que já se saber é que a mutação do coronavírus é bem menor do que a do HIV.

Outra diferença entre os dois vírus é que nenhuma pessoa infectado pelo HIV se curou de forma natural graças ao seu sistema imunológico, entretanto no coronavírus, muita gente superou a doença graças à ação de seu próprio sistema imunológico, que é justamente o mecanismo que as vacinas utilizam para combater os vírus.

Com informações:Uol

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS