Quando olharmos para trás, as chances de vermos algumas virtudes neste ano catastrófico de 2020, serão mínimas. Embora tenha começado de forma auspiciosa, anunciando uma nova década, novas oportunidades e novas tecnologias. Porém o mundo viu-se em uma crise de saúde que não era vista em quase cem anos. As esperanças caíram e as notícias começaram a mostrar um rosto cada vez mais amargo no planeta. Muito em breve, você verá as consequências a longo prazo que essa epidemia causou ao mundo.

Mas também, em retrospecto, pode haver algumas coisas positivas a serem enfatizadas. O difícil é que só quando nos distanciamos o suficiente é que podemos ver o bem que emergiu de uma situação tão difícil. Se você quer adivinhar um pouco o que será, damos uma pista: será o heroísmo daqueles que entraram na primeira fila para enfrentar uma crise contra o coronavírus.

Algumas publicações e lugares são claros que este será o caso. Do mesmo modo que os soldados que suportaram os horrores da Segunda Guerra Mundial são hoje celebrados por unanimidade, as estátuas podem subir nos seguintes espíritos e cumprimentar com o mesmo respeito os heróis dessa época. Não estamos falando de soldados com armas de fogo, mas de enfermeiras com máscaras e médicas com seringas.

Sempre atenta às tendências mundiais, a revista Vogue, em sua edição no Reino Unido, lançou uma edição muito especial. Deixando de lado as modelos e atrizes que geralmente posam para suas capas, a Vogue lançou algumas capas para celebrar mulheres que, em muitos casos, literalmente, estão dando suas vidas por ajudar quem mais precisa.

Suas novas capas são dedicadas às heroínas do coronavírus. Dois deles mostram enfermeiros, enquanto o terceiro mostra um médico. Não nos parece estranho que essas capas sejam usadas como evidência fundamental nos próximos anos, para explicar como a sociedade mudou, passando de idolatrar pessoas no mundo do entretenimento, a fazê-lo com aqueles que dedicam suas vidas à área de entretenimento. a saúde.

Se vamos tirar uma lição dessa crise, não seria ruim se fosse essa.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS