Quando ela ainda estava no ventre, sua mãe sempre repetia, “ooooi filha, papai chegou” e toda vez que a mamãe dizia essas palavras, a pequena Antonella, na mesma hora todos os dias, começava a se mover na barriga.

Palavras que permaneceram tãovivas na memória que foram reconhecidas imediatamente após o seu nascimento. Assim que a bebê ouviu a mãe falar que o seu pai, Flávio Dyego Vilela Dantas, havia chegado, Antonella sorriu para ele, reconhecendo sua voz. 

A mãe da criança, Tarsila Rosa Cordeiro Batista, em entrevista ao SnB declarou:

“Eles a colocaram comigo enquanto ele dormia e, assim que ele falou com ela, Antonella abriu os olhos e sorriu!”

Flavio ficou emocionado ao ver a reação de sua filha e com ele, o mundo inteiro, desde que a foto se tornou viral nesse meio tempo . Um SnB declarou:

 “Eu pensei que sabia o que era o sentimento de amor verdadeiro, até que olhei para o sorriso mais sincero do mundo … era [lá] que eu podia ter certeza do que era o amor”.

Antonella, nasceu com 3.125 kg e 49 cm, no Hospital Naval Marcílio Dias, no Rio de Janeiro, veio ao mundo no dia dos pais, 11 de agosto, que coincidência!

Mesmo na barriga, as crianças reconhecem sons e rostos

Mas certamente não é um caso isolado o de Antonella, porque mesmo que não percebamos, os recém – nascidos que estão no útero podem nos ouvir, como mostra o estudo”A plasticidade neural induzida pela aprendizagem do processamento da fala antes do nascimento “, que ao examinar vários recém-nascidos, encontrou sua capacidade de reconhecer sons e palavras pronunciados, não apenas da mãe, antes do nascimento. E não apenas isso, de acordo com uma equipe de pesquisa finlandesa, os bebês na barriga também podem ouvir música e aprender , reconhecendo-a após o nascimento.

Texto originalmente publicado no Greenme.it, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS