Com um norte bastante claro, alguns países trabalham e buscam implementar melhorias que influenciam o desenvolvimento, mas também a qualidade de vida de seus habitantes.

Enquanto algumas nações debatem questões em atraso, outras são pioneiras e marcam roteiros. A estrada está marcada, você apenas precisam segui-la, assim como Sanna Marin está fazendo.

O primeira-ministra da Finlândia está fazendo história e propôs uma semana de trabalho de 4 dias, com 6 horas de trabalho.

“As pessoas merecem passar mais tempo com seus entes queridos.”

Há pouco menos de um mês, a jovem Sanna Marin , 34 anos, fez história no mundo por ser o segundo primeiro-ministro mais jovem a ser eleito. Com esse grande cartaz, ela chegou ao governo de seu país com idéias claras e renovadas.

Ela é estreitamente ligada a classe trabalhadora da Finlândia,  ela entendeu e propôs desde o início uma reviravolta nos dias úteis de seu país.

Sanna lançou recentemente sua proposta que visa reduzir a semana de trabalho para 4 dias e as horas diárias para 6 horas. Atualmente trabalhando 5 dias e 8 horas. A iniciativa busca aumentar a qualidade de vida e permitir que os cidadãos participem da cultura, entre outras coisas.

“Acho que as pessoas merecem passar mais tempo com suas famílias, entes queridos, desfrutar de hobbies e outros aspectos da vida, como a cultura. Este deve ser o próximo passo para nós na vida profissional. ”

Ela destacou a autoridade no 120º aniversário do Partido Social Democrata.

A primeira-ministra já defendia a redução dos dias quando ela era ministra dos Transportes, buscando fortalecer a relação entre produtividade e felicidade dos trabalhadores.

Segundo o Daily Mail , a proposta foi bem recebida por autoridades como o ministro da Educação Li Andersson, líder da Aliança de Esquerda da Finlândia.

A proposta de Sanna é baseada no exemplo de sua vizinha Suécia, onde dias de 6 horas foram implementados com resultados promissores.

O destaque dessas iniciativas é o aumento da felicidade dos trabalhadores, a qualidade do trabalho e o produto final e, portanto, maior produtividade. No entanto, por enquanto é apenas uma ideia, que sem dúvida marcaria um marco no mundo.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS