Até agora, a equipe de pesquisa foi capaz de curar o diabetes em camundongos usando um novo processo de células-tronco e tem esperança de que o processo se traduza em humanos.

O principal pesquisador do projeto, Dr. James Shapiro, disse ao CTV News Edmonton que sua equipe foi capaz de colaborar com especialistas de todo o mundo para transformar o sangue do próprio paciente em células produtoras de insulina.

“Portanto, agora estamos no ponto em que podemos fabricar com segurança células produtoras de insulina a partir do sangue de pacientes com diabetes tipo 1 ou 2 e temos feito isso nos últimos meses no laboratório”, disse ele. “Colocar essas células em camundongos diabéticos e reverter o diabetes até o ponto em que o diabetes esteja essencialmente curado.”

Vinte anos atrás, o mesmo Dr. Shapiro fez história médica com o ” Protocolo de Edmonton “ , um procedimento que dá aos pacientes novas células produtoras de insulina, graças a transplantes de ilhotas de doadores de órgãos.

Esse procedimento, entretanto, requer o uso de medicamentos anti-rejeição poderosos que carregam efeitos colaterais significativos.

Dr. Shapiro diz que este novo processo de células-tronco eliminaria esse problema. “Se forem células próprias, os pacientes não as rejeitarão”, disse ele.

De acordo com o Dr. Shapiro, mais testes serão necessários antes que sua equipe possa mover seus testes de animais para pessoas.

“É necessário que haja dados preliminares e, idealmente, um punhado de pacientes que demonstrem ao mundo que isso é possível e que é seguro e eficaz”.

É preciso mais dinheiro para comprar equipamentos para a pesquisa, disse. O pesquisador principal diz que a falta de financiamento é um grande obstáculo à pesquisa.

É por isso que um pequeno grupo de voluntários pretende arrecadar US $ 22 milhões até 2022 para financiar pesquisas adicionais com a Fundação do Instituto de Pesquisa do Diabetes do Canadá.

O Dr. Shapiro espera que a ajuda financeira lhe permita provar ao governo que a ciência funciona. De acordo com a Organização Mundial da Saúde , cerca de 422 milhões de pessoas vivem com diabetes no mundo, com 1,6 milhão de mortes atribuídas diretamente ao diabetes a cada ano.

Texto originalmente publicado no CTV News, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

RECOMENDAMOS