Por: Revista Saber Viver Mais

A espécie que foi batizada de Karutia fortunata foi descoberta, quase que por um acaso.

O professor e paleontólogo Juan Cisneiros e sua equipe estavam em uma expedição entre as cidades de Palmeiras e Nazária, interior do estado do Pauí, quando o pneu do carro onde estavam furou, enquanto aguardavam o conserto, o grupo acabou descobrindo uma espécie da Era Paleozoica.

“Quando o pneu furou, éramos cinco homens. Quatro ficaram trocando o pneu, enquanto um continuou andando pelo local, resultando na descoberta desse fóssil. Se não tivesse acontecido isso, provavelmente não teríamos feito essa descoberta, a verdade é essa”, contou Cisneros ao G1.

Antes dos dinossauros

A Karutia fortunata viveu aproximadamente 280 milhões de anos, no Período Permiano da Era Paleozoica, ela habitou na terra antes dos dinossauros. “Karutia viveu ao mesmo tempo que a Floresta Fóssil do Rio Poti em Teresina e habitou nela”, disse. Ela é um réptil pequeno e parecido por fora com um calango, que media uns 25cm de comprimento e se alimentava de insetos.

Segundo o pesquisador o nome do réptil se deu por causa da situação: Karutia fortunata. “Karutia em língua timbira significa pele enrrugada e com caroços. Escolhemos esse nome porque os ossos do crânio do animal estão cobertos por muitas rugas naturais. Fortunata refere-se ao fato de que foi uma descoberta afortunada”, disse.

O paleontologo no entanto disse que apesar de ser parecido com um calango ela tem um paretesco muito distante com o réptil, e não deixou descendentes.

As várias partes do corpo do fóssil, dentre eles: ossos do crânio, da mandíbula, vértebras, e de outras partes do esqueleto, foram analisadas e estudadas por uma equipe liderada por Juan Cisneros, diretor do Museu de Arqueologia e Paleontologia da UFPI, em conjunto com uma equipe internacional de paleontólogos das seguintes instituições: Museu de Ciências Naturais da Carolina do Norte (EUA), Museu Field de Chicago (EUA), Museu Iziko (África do Sul), Universidade de Buenos Aires (Argentina), Universidade Humboldt (Alemanha), Museu de História Natural (Reino Unido).

Recentemente a revista “Journal of Systematic Palaeontology”, apresentou um estudo sobre o fóssil do Karutia fortunata, vale lembrar que essa revista é referência na área da Paleontologia.

RECOMENDAMOS