Por Octavio Caruso

Eu selecionei ótimos títulos românticos na Netflix, para facilitar o seu garimpo cultural. Aqueles filmes que você vê, revê e indica para todo mundo. Boa sessão!

Diário de Uma Paixão (The Notebook – 2004)

Todo dia um homem visita uma senhora com sérios problemas de saúde que prejudicaram irreversivelmente sua memória. Em cada uma destas visitas, ele lê para ela um capítulo de uma linda história de amor, que começa assim: “Noah era um jovem operário numa pequena cidade. Allie era uma garota rica e culta da capital. Eles se conheceram num parque de diversões e, apaixonados, viveram o mais intenso verão de suas vida”. Enquanto o homem que a visita lhe conta este envolvente romance, a senhora doente parece redescobrir o prazer de emoções há muito adormecidas, relembrando passagens de sua própria juventude.

A Escolha (The Choice – 2016)

Travis Parker (Benjamin Walker) tem uma vida confortável, um bom emprego, amigos leais e uma casa em pequena cidade costeira. Ele busca diariamente viver plenamente e acredita que um relacionamento sério limitaria o seu estilo de vida. Isso até que Gabby Holland (Teresa Palmer) se muda para a casa ao lado. Mesmo que ela tenha um namorado, a moça o instiga logo de cara e faz com que os dois se entreguem a uma relação que nenhum deles esperava.

Palmeiras na Neve (Palmeras en la Nieve – 2015)

Em 1953, os irmãos Jacobo (Alain Hernández) e Kilian (Mario Casas) viajam até a ilha da Guiné Equatorial para trabalhar em uma plantação de cacau. No local, Kilian se apaixona por uma nativa, um amor proibido na época. Meio século depois, Clarence (Adriana Ugarte) descobre acidentalmente uma carta esquecida por anos que a faz viajar até a ilha onde seu pai, Jacobo, e seu tio moraram durante anos. Em um território exuberante, sedutor e perigoso, ela descobre os segredos da família, turbulências passadas que atingem o presente.

Barakah com Barakah (Barakah yoqabil Barakah – 2016)

A elegante e estilosa Bibi (Fatima AlBanawi) está participando de uma sessão de fotos na orla de Jidá, quando o fiscal do município Barakah (Hisham Fageeh) chega para verificar as licenças. Os caminhos de Bibi e de Barakah se cruzam em várias outras ocasiões, como uma centelha romântica palpável rapidamente que surge entre dois jovens que têm entre vinte e poucos anos e que vêm de diferentes estratos sociais.

Fonte: Devo Tudo ao Cinema

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS