Por: A.S.C

A Nova Zelândia é um país no sudoeste do Oceano Pacífico formado por 2 ilhas principais, o país tem uma população de 4.900 milhões de habitantes e um PIB anual de US$ 215 bilhões.O certo é que esse pequeno país não chega ao tamanho do estado de Goiás por exemplo, que possui 6.523 milhões de habitantes.

Mas o que esse pequeno país tem para ensinar as grandes potências no combate contra o coronavírus? O país teve apenas 20 vítimas fatais e praticamente esmagou a curva de contágio. A população inclusive já recebeu as primeiras medidas de alívio do isolamento social.

Abaixo algumas medidas que o país tomou:

Eliminar e não achatar a curva

O país que é liderado pela primeira-ministra Jacinda Ardern, tomou decisões bem mais agressivas que os outros paises, as medidas que foram tomadas desde o início dos casos e a noção de que se buscava não a “mitigação” da doença, mas sim sua “eliminação” na medida do possível. Isso significa na prática não achatar a curva, mas sim destruí-la completamente.

Isolamento total e fechamento das fronteiras

A medida foi considerada por outros países uma tanto agressiva, mas a Nova Zelândia, confinou toda a sua população durante um mês e fechou totalmente as fronteiras e aeroportos.

A primeira-ministra declarou em uma reportagem dada a BBC, que as fronteiras vão ficar fechadas pelo tempo que se fizer necessário. “Não teremos fronteiras abertas com o resto do mundo por muito tempo”, afirmou Jacinda Ardern

Políticos deram o exemplo

Os políticos do país foram os primeiros a darem o exemplo, começando pela primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, que reduziu o seu próprio salário e o dos ministros em 20% nos próximos seis meses por causa da pandemia do coronavírus.

“Reconhecemos que os neozelandeses que dependem dos salários estão tendo os pagamentos reduzidos e perdendo seus empregos como resultado da pandemia de global de covid-19. Hoje, eu confirmo que eu, os ministros do governo e os chefes do setor público vamos reduzir nossos salários em 20% nos próximos seis meses.”

Com certeza a atitude gera um impacto positivo nos cidadãos, que vêem no exemplo do poder público, a seriedade em conduzir a pandemia.

Reabertura parcial após Lockdown restritivo

Mesmo com o coronavírus sobre controle, a primeira-ministra do país ainda não sente que é hora de encerrar as restrições. “Nós estamos reabrindo a economia, mas não estamos abrindo a vida social das pessoas”, destacou Jacinda Ardern

Ela afirmou que apesar de tudo estar sobre controle, ainda não há certeza sobre a eliminação total do vírus e que ainda não é hora de relaxar.  “Todos querem retomar os contatos sociais que faltam, mas para fazer isso com segurança precisamos nos mover lentamente e precisamos usar a cautela. Não arriscarei os progressos feitos no tema da saúde dos neozelandeses. Se precisarmos permanecer por mais tempo em quarentena, nós ficaremos”, finalizou.

Com informações:Fantástico

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS