A família do menino Quaden Bayles – que queria se matar após sofrer bullying na escola por ter nanismo – teve uma atitude nobre a respeito da vaquinha criada pelo comediante americano Brad Williams.

Em vez de ficar com os 700 mil dólares australianos – quase R$ 2 milhões – arrecadados, a tia do menino contou que o valor deverá ser repassado para instituições de caridade que combatem o suicídio.

Mundara Bayles disse que a vaquinha foi um exemplo de empatia, mas existem problemas maiores no mundo para os quais o valor precisa ser destinado.

“Existem muitos suicídios em nossa sociedade ocorrendo devido ao bullying. Por isso, queremos que o dinheiro seja destinado a organizações comunitárias que realmente necessitam. Eles sabem com o que o dinheiro deve ser gasto. Por mais que desejemos ir para a Disney, acho que nossa comunidade se beneficiaria muito disso”, afirmou Mundara em entrevista à emissora local NITV News.

A vaquinha começou no último dia 21 para juntar dinheiro para levar o menino de nove anos com nanismo para conhecer a Disney.

De acordo com os termos do site GoFundMe, onde a vaquinha foi realizada, “todos os fundos doados serão usados exclusivamente para a finalidade declarada, e sob nenhuma circunstância poderão ser usados para outro fim.”

Assim, Brad Williams destaca num texto da plataforma que depois que todos os vôos, hotéis, passagens e alimentos forem pagos para a família, o restante será doado para instituições de caridade que lutam contra o bullying.

A história

Quaden Bayles chamou a atenção do mundo após aparecer em um vídeo pedindo uma corda para se matar por que sofria bullying na escola.

A gravação rodou o mundo e comoveu milhões de pessoas, incluindo o responsável pela uma vaquinha online, o ator Brad Willams.

No fim de semana, Quaden foi ovacionado pela torcida e teve um dia de glória quando entrou em campo junto com os jogadores da equipe NRL All-Stars Indígena de rugby da Austrália.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS