Por Dr. Victor Sorrentino

“MAS DOTÔ A MARGARINA É MUITO MAIS BARATA QUE A MANTEIGA!”

A margarina é um produto muito didático quando queremos avaliar de que forma o poder da indústria e da mídia ligada à ciência médica podem ser fatais!

Um “alimento” inofensivo, considerado INCREMENTO à saúde por proteger o coração, baixar as taxas do mal falado colesterol e outros benefícios.

Será mesmo?

Em primeiro lugar, quero deixar claro que a invenção da margarina não tem nada a ver com “encontrar um substituto mais saudável para a manteiga”.

Sua criação data de meados do século XIX (1869), época em que a discussão alimentar estava muito longe da vigília científica!!

Mais saúde? Não!! A margarina foi criada com o objetivo de ser mais BARATA que a manteiga, visto que o gestor dessa tarefa, Napoleão II, lidava com uma grande crise econômica em suas fronteiras.

Seu nome “margarités”(grego) significa cor pérola, e sua origem é do reino animal – uma mistura comprimida de gordura do sebo de vaca, leite desnatado, partes menos nobres do porco e da vaca e bicarbonato de sódio.

Os componentes da margarina têm se modificado com o passar do tempo, mas foi principalmente após a sedimentação da indústria química alimentar, que iniciou uma guerra santa contra a gordura saturada e os produtos de origem animal, que a margarina ganhou a composição mais próxima da atual, baseando-se em extratos oleoginosos vegetais.

Seu processo atual inclui o uso de:

+ Solventes de petróleo (geralmente o hexano, que é bem barato)
+ Ácido Fosfórico, soda (que resulta numa substância marrom e mal cheirosa)
+ Ácidos Clorídrico ou Sulfúrico, altas temperaturas e catalisação com níquel (que deixa o produto parcialmente hidrogenado)

Resta então um produto de ótimo prazo de conservação, com textura firme mesmo a temperatura ambiente, que não rança, não pega fungos, não é atacado por insetos ou roedores.

Enfim é um não-alimento.

Leia mais: Entenda a Dieta Cetôgenica-por Dra. Pâmela Terra

Realmente mais saudável que a manteiga feita apenas de leite e sal, não é mesmo?

O processo todo acaba por formar uma substância rica em um tipo particular de gordura chamado “trans”, insólita na natureza e de efeitos nocivos para o homem, além disto, como é de conhecimento público o principal predicado da margarina é ser rica em óleos poliinsaturados, que hoje, já se sabe, contribuem para um grande número de doenças.

Amiga do coração?

Gorduras trans já estão comprovadamente ligadas a doenças…cardiovasculares!!

Há uma farta literatura disponível para quem quiser se informar sobre isto em revistas de saúde e na Internet, produzida por estudantes sérios e descompromissados com os quem costumeiramente patrocina as informações técnicas que vem ao público: laboratórios e indústrias químicas alimentares.

Na França uma revista de informação – “L’Ere Nouvelle” – ganhou uma ação contra o sindicato dos produtores de margarina local, que a havia processado por publicar o artigo “A Margarina e o Câncer”.

Resumidamente, a margarina, pode estar relacionada comprovadamente a:

+ Disfunções imunológicas
+ Danos ao fígado, pulmão e órgãos reprodutivos
+ Distúrbios digestivos
+ Diminuição na capacidade de aprendizado e crescimento
+ Problemas de peso
+ Aumento no risco de câncer
+ Transtornos do metabolismo do colesterol
+ Incremento de aterosclerose

Ou seja…a margarina promove exatamente o que ela se propõe a tratar!

Enquanto isso, a manteiga, considerada nociva e politicamente incorreta após a revolução industrial, vilã do coração e artérias… na verdade não possui UMA EVIDÊNCIA sequer de que seu consumo esteja ligado ao deterioramento da saúde cardíaca.

Uma análise extensa publicada em 2010 revisou 21 estudos que incluíram um total de 347.747 participantes e determinou: não foi encontrada qualquer associação entre o consumo de gordura saturada e o aumento do risco de doenças cardiovasculares (incluindo derrames).

Obviamente estou comparando os dois elementos aqui, pois estou deixando de fora uma discussão que também seria grande a respeito do problema da Lactose e dos derivados do leite.

E aí meus amigos, de nada adianta incrementar a margarina com os tais enriquecimentos, pois o problema é na base deste “alimento”, além do fato de que nunca aconselho que vocês escolham e comprem alimentos atraídos pelos fatores enriquecidos, pois na grande maioria das vezes são utilizados nutrientes de péssima qualidade só para marketing.

Faça um teste simples, deixe um pote de margarina aberto em qualquer lugar. Nem formigas e nem baratas irão se aproximar do pote!

E então comemos e ainda somos orientados por profissionais de saúde a preferir uma substância que até os insetos rejeitam!

Com certeza deve ser um “alimento” saudável não é mesmo?

Por último deixo 4 dicas:

1- Uma das melhores manteigas para quem tem condição de tê-la: a manteiga indiana “Ghee”, a qual não entrarei em detalhes para não me alongar, mas é melhor e mais saudável;

2- Manteiga não foi feita para colocar na panela quente e cozinhar, apesar do sabor que ela fornece a muitos alimentos, pois aí acontece uma desnaturação dos nutrientes entre outros fatores oxidativos;

3- A manteiga é rica em ácido butílico (denominação devido a sua cadeia composta por 4 moléculas de Carbono), que é comprovadamente fator protetor para câncer de Intestino, portanto se torna um nutriente ativo na Epigenética de quem tem história familiar da doença;

4- Não quero com isto incentivar a ingestão da manteiga, mas desmistificar de uma vez por todas a diferença entre a margarina e a manteiga, portanto lembro que abusos são sempre prejudiciais!!

Bom senso sempre!!

A decisão será sempre sua. Compre ou não compre a margarina.

Mas que faça isso com total CONSCIÊNCIA de que dinheiro, meus amigos… dinheiro não significa nada perto da sua maior riqueza: sua integridade biológica, ou seja sua saúde.

Tudo aquilo que nos privamos ou nos excedemos HOJE será sentido AMANHÃ. Sem falta. Uns mais, outros menos. A verdade é que as consequências sempre virão.

Que legado deseja deixar para seus filhos e netos? Que vida deseja ter em seus últimos dias? Muitos só deixam para pensar nisso quando já é tarde demais.

E se fosse possível reescrever sua história a partir de hoje? Ir em direção a um futuro com vitalidade, força, fôlego, motivação.

Boas noites de sono, plenas capacidades físicas e mentais. Aproveitar cada dia junto a seus entes queridos e amigos.

O primeiro passo é adquirir conhecimento e entender o que deve ser feito para que se chegue até lá.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS