“Em 1997, meu Ivan foi diagnosticado com autismo, o psiquiatra disse que ele não se comunicaria e seria incapaz para o resto da vida. Quero lhe dizer que “incapaz”, acabou de se formar na Universidade. Sinto uma emoção indescritível. O orgulho de uma mãe em ver seu filho com autismo se formar em engenharia.”

Pura felicidade e orgulho exprimem as palavras de María Cecilia Lovera, depois que seu filho Iván Gutiérrez se formou em engenharia da computação, depois de superar muitos obstáculos: do assédio moral aos terríveis prognósticos médicos.

Por exemplo, o psiquiatra mencionado o aconselhou a ter mais filhos, “pois desse você não precisa esperar nada!”. E quando ele quis entrar na escola, recebeu a seguinte resposta: “Por que você quer que seu filho estude? Seu filho não será capaz de trabalhar em nada. Se você começar a trabalhar, terá um emprego muito menor. Jardinagem, pastelaria, essas coisas. Mas nem pense que seu filho aprenderá outra coisa. Tire isso da cabeça ”, a mulher diz à LUN .

Bullying

Enquanto isso Iván estudava e sofria bullying constante. Mas os abusos e provocações não eram apenas de seus colegas de classe, mas também dos próprios professores.

“Seus mesmos colegas de classe disseram que ele não terminaria. Havia até professores que falavam para ele, mas ele foi em frente e se formou!”, Afirma a mulher com orgulho.

E toda a recompensa pelo trabalho em família e pela constância do jovem de 25 anos foi concretizada agora, depois de se formar em engenharia. E a mãe decidiu divulgar o caso, enviando um importante apelo à cidadania.

“O que importa para mim é dar uma mensagem de esperança às mães de crianças autistas. Se você vê a situação difícil, tenha esperança. Eu sempre tive, eu dizia às mães para acreditarem nos filhos e que os médicos tem a obrigação de diagnosticar, mas não de colocar uma lápide em uma criança ”, concluiu.

Texto originalmente publicado no Publimetro, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

Crédito Imagem: Maria Cecília

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS