Segundo o Underground Health Reporter, aos 74 anos, 26% dos adultos perderam todos os dentes permanentes. As dentaduras evoluíram com o tempo, mas ainda apresentam alguns problemas, como desconforto, podem não se encaixar e não conseguem se adaptar à medida que o osso da mandíbula ao redor muda com a idade.

Agora, uma técnica pioneira desenvolvida no Laboratório de Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa pelo Dr. Jeremy Mao, Professor de Medicina Dentária e Engenharia Biomédica da Universidade de Columbia, Edward V Zegarelli , poderia fazer da perda de dentes algo como com o que as pessoas não se preocupam.

Por que isso é tão importante? A boca é o primeiro estágio do nosso sistema digestivo. Os dentes nos ajudam a esmagar os alimentos que ingerimos. Ter dentes saudáveis ​​é muito importante para ter uma boa dieta.

Os pesquisadores descobriram uma maneira de fazer com que as células-tronco do corpo migrem para um armação feito de material natural, que pode ser colocado na boca do paciente. Gradualmente, o dente pode crescer na cavidade e depois se fundir com o tecido circundante. O resultado é um dente novo em apenas oito semanas.

“Esses achados representam o primeiro relatório da regeneração de estruturas dentárias anatomicamente corretas “, diz o Dr. Mao.

A pesquisa elimina a necessidade de crescer dentes em uma placa de Petri, que usa células-tronco de outras fontes, e pode levar a um tempo de recuperação mais rápido e a um dente muito melhor adaptado.

Uma salva de palmas para a ciência médica!

Texto originalmente publicado no Nation, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS