Por Cristofer García

Em meio à pandemia de COVID-19 , uma doença para a qual ainda não existe vacina, muitos tentam se reunir com suas famílias e amores, quando as medidas de distanciamento social são mais flexíveis. Portanto, esse casal de idosos pode enfim se beijar novamente, depois de mais de 100 dias separados . No entanto, foi uma reunião adaptada aos novos tempos.

É sabido que os idosos são os mais vulneráveis ​​ao novo coronavírus, motivo pelo qual as medidas de isolamento são mais rigorosas com eles. Isso não impediu Pascual Pérez, 84 anos, e sua amada Agustina Cañamero, 81 anos, de demonstrar seu amor novamente como desejavam por meses.


Emilio Morenatti / AP

Em uma imagem imortalizada pelo fotógrafo Emilio Morenatti, da agência Associated Press , foi possível ver a reunião desses amantes na Espanha , que se beijavam através de uma parede de plástico, para evitar contato direto e possíveis infecções por COVID-19.

“No primeiro encontro, após 102 dias de confinamento, Agustina Cañamero , 81, e Pascual Pérez , 84, beijam uma folha de plástico para impedir a propagação do coronavírus, na residência Ballesol Fabra i Puig, em Barcelona, ​​na segunda-feira 22 de junho de 2020 ″ , escreveu Morenatti na publicação na rede social Twitter.

No entanto, eles não foram os únicos entes queridos a se reunir depois de tanto tempo. Dolores Reyes e seu pai José Reyes , ambos adultos mais velhos, também puderam se abraçar novamente após quatro meses de intervalo durante esta crise de saúde. Eles também fizeram isso cumprindo severas medidas de higiene.


Emilio Morenatti / AP

“Após 4 meses de ausência, Dolores Reyes, 61 anos, e seu pai José Reyes Lozano, 87 anos, se abraçam pela primeira vez através de uma folha de plástico para impedir a propagação do coronavírus, na residência Ballesol Fabra i Puig, em Barcelona, Segunda-feira, 22 de junho de 2020 “, disse Morenatti no gráfico.


Emilio Morenatti / AP

Isso acontece quando na Espanha eles começam a fazer pausas para essa emergência, depois que seus dias mais sombrios se passam. No entanto, este país europeu contabilizou mais de 246.500 casos confirmados, assim como infecções e mortes diárias.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS