Pedro parava todos os dias no semáforo com uma placa que dizia: “Preciso de trabalho.” Um dia, um transeunte apareceu e o chamou para uma entrevista de emprego. “Não queremos apenas um emprego. Queremos um trabalho que nos dignifique como pessoa ”, afirmou.

Para muitas pessoas, a procura de emprego pode ser um processo difícil que pode levar meses ou até anos. E essa situação se torna ainda mais complexa se for enquadrada no contexto de uma pandemia global, que tem causado estragos nas áreas de trabalho de muitos países.

No Brasil a situação não é diferente. Há poucos dias, a jovem paranaense Raiza Maringá divulgou uma situação que aconteceu com ela na cidade de Maringá, Brasil, quando topou com um homem que pedia trabalho em um semáforo, segundo a Razoes Para Acreditar .

Raiza Maringá de Paraná

A jovem disse que o homem segurava uma placa que dizia: ” Preciso de um emprego “ , junto com seu nome, Pedro, e seu número de telefone. Imediatamente, Raiza soube que precisava fazer algo, então anotou o número do telefone e continuou seu caminho.
Poucas horas depois, a jovem explicou que havia uma vaga que havia sido liberada onde ela trabalhava. Foi então que pegou no telefone e ligou para o Pedro. “Ele respondeu ansioso: ‘Estou no semáforo, mas posso ir a um lugar com internet em 10 minutos ‘ ”, disse Raiza.

Raiza Maringá de Paraná

Eles fizeram uma videochamada e ele contou a ela sua história. Pedro foi abandonado pelos pais biológicos e criado por uma professora de Porto Velho. A partir daí trabalhou em diversos ofícios, como palhaço e garçom, entre outros.
Raiza se emocionou com sua história e o convocou para uma entrevista pessoal. Na fábrica onde trabalha a jovem, deram-lhe uma visita guiada e por fim o contrataram. “ Hoje você não vai mais voltar para o semáforo . Você vai nos dar os documentos para começar a trabalhar conosco “, disse ela.

Raiza Maringá de Paraná

Para Pedro foi  “um sinal de que posso ter esperança, posso melhorar a minha vida, recomeçar, criar novos laços, ter uma vida menos difícil. Não queremos apenas um emprego. Queremos um trabalho que nos dignifique como pessoa, que nos dê a oportunidade de viver melhor . ”

Daquele dia em diante, esse homem que tinha que passar longos dias em um semáforo com uma placa tornou-se apenas mais um funcionário.

 

Traduzido e adaptado de: UPSOCL

RECOMENDAMOS