Se todos nós colocarmos nossa parte e energia na construção de um mundo melhor, as coisas provavelmente serão diferentes. O egoísmo e o individualismo abundam nestes tempos, mas sempre exceções, que se destacam muito. Não se trata de entregar dinheiro, deixar o trabalho ou mudar radicalmente de vida, mas sim de coisas simples: Ser gentil, atencioso, pró-ativo e consciente.

Rodrigo Belli é um estudante de 23 anos que colocou esses valores em prática e criou um projeto interessante. Ele fabricou uma mochila que filtra e limpa a água suja, adaptando-a para o consumo humano. Onze famílias de baixa renda já se beneficiaram com a invenção, mas no futuro ele espera ajudar muito mais.


Instagram Water Camelo

Ele é aluno do curso de design de produto da PUC-Rio e seu engenhoso desenvolvimento está beneficiando, em primeira instância, famílias do Jardim Gramacho, na Baixada Fluminense, em setores carentes.


Instagram Water Camelo

A ideia recebeu o nome de Água Camelo, que consiste em um pequeno kit (comparado ao processo tradicional de limpeza da água), onde uma mochila filtra a água com impurezas até que esteja pronta para o consumo.

“Quem tem água potável em casa, se não é fornecida por encanamento até sua casa, teria que cumprir quatro etapas para ter água potável em casa, que é coletar, transportar para casa, estocar em casa. e filtrar essa água. Então decidimos (criar) um kit Camel, composto por uma mochila, um filtro de água portátil e um suporte de parede. Eles conseguem resolver esses 4 passos ”. Rodrigo comenta na mídia local.

Aqui fica um vídeo com o seu funcionamento e, o mais importante, com o sorriso e a alegria de quem precisa.

View this post on Instagram

Ontem foi um dia muito especial, conseguimos entregar mais um kit da @agua_camelo , só que dessa vez, em uma situação ainda mais desafiadora do que as que vivenciamos anteriormente. O mundo está passando pela maior pandemia deste século, e é extremamente gratificante pensar que, de alguma forma, nós estamos providenciando uma ferramenta para que as pessoas que moram em Jardim Gramacho tenham água potável em suas casas e, assim, possam se proteger desta catástrofe. Fomos na casa da Sra. Rosângela para fazer a doação do kit e a instalação do suporte para a mochila. Tomamos todos os cuidados necessários e possíveis para protegermos todos os envolvidos neste processo. Entretanto, adoraríamos ouvir de vocês algumas sugestões para tornarmos esta operação ainda mais segura. . Se você quiser contribuir conosco nessa missão de levar água potável para quem mais precisa, entre em contato, vamos conversar! . Se cuidem, o que estamos vivendo é muito sério. Se você tem o privilégio de poder ficar em casa, fique. . 📸: @sousa.gourmet_

A post shared by Água Camelo (@agua_camelo) on

50 pessoas de cerca de 11 famílias já o utilizam. A solidariedade não é um mito, é uma realidade que acaba com a felicidade de quem recebe um pequeno empurrão de gentileza.

Suellen Ferreira (a menina do vídeo) contou sua experiência e relatou como alguns problemas de saúde melhoraram, principalmente nas crianças. Antes eles sofriam de diarreia constante, lesões corporais e complicações gerais. Isso, por enquanto, é coisa do passado graças à água limpa.


Instagram Water Camelo

A Água Camelo procura continuar contribuindo para o nosso mundo, expandindo-se graças à colaboração de algumas empresas. Cada kit custa um investimento de 350 reais, então não tem sido fácil.

Por meio de suas redes sociais e site, eles informam sobre o processo de patrocínio do projeto, para receber apoio financeiro. Você pode visitá-los em seu Instagram, para quaisquer perguntas, dúvidas ou contribuições.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS