A afirmação é do médico, escritor, congressista e membro da Associação Médica Espírita Brasileira (AME-Brasil), Carlos Durgante, que fala sobre a influência da espiritualidade na condição física das pessoas.

Autor de sete livros sobre espiritualidade, ciência e saúde, ele afirma que nossas células assumem as emoções que transmitimos a elas, condicionando o estado de saúde ou de doença aos órgão a que estão vinculadas.

Angela Piana

Revista Servioeste: A ciência já consegue explicar que o desequilíbrio dos nossos padrões emocionais é o principal causador das doenças que conhecemos?

Dr. Carlos Durgante: Sim e há muito tempo. Em 1939, a American Psychosomatic Society inaugurou a era da Medicina Psicossomática que é uma ciência que integra diversas especialidades da medicina e psicologia para estudar os efeitos de fatores sociais e psicológicos sobre o corpo. Aos poucos, a psique humana (a contraparte da dimensão física) começou a ocupar um espaço decisivo no entendimento do binômio saúde-doença, passando a ver o ser humano de uma forma mais integral. Pesquisas da psicofarmacologista norte-americana, Candace Pert, no final da década de 1990 e do médico norte-americano, Bruce Lipton, reforçam a tese de que os pensamentos gerados pelos sentimentos são forças que podem adoecer o corpo e agravar doenças, e que existe uma biologia dos sentimentos que se processa pela ação de moléculas que circulam pelo corpo humano, as chamadas moléculas da emoção.

Podemos afirmar que a doença é causada não apenas por germes, substâncias químicas e traumas físicos, mas também por disfunções crônicas dos padrões de energia emocional e pelos maus hábitos de relacionamento da pessoa consigo mesma e com os outros. Sabemos que as nossas células estão constantemente sendo bombardeadas por sentimentos e emoções que nutrimos, assim, conforme a suscetibilidade de cada pessoa, elas geram os estados de saúde ou de doença. Os estados emocionais felizes ou infelizes da nossa alma são transferidos à estrutura mental das células no interior dos órgãos vinculados.

RS: Como acontece biologicamente a transmissão das informações da mente para o nosso corpo?

CD: No entendimento da medicina vibracional, a mente e o corpo estão interconectados por um eixo chamado de HHA (Hipotálamo-Hipófise-Adrenal). Em 1981, o cientista norte-americano, Robert Ader, criou o termo Psiconeuroimunologia para definir a área da ciência que estuda as associações entre os processos comportamental neural, endócrino e o sistema imune.

O eixo destes processos exerce ações diversas sobre as células e os sistemas do corpo humano por comando mental. Essa interação desempenha um papel em muitas doenças como as infecções, doenças neurológicas…(Confira a entrevista completa aqui!)

Via: Revista Servioeste

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS