Um boato circula pela internet informando às pessoas que, para curar a gripe H1N1, é só tomar chá de erva-doce a cada 12 horas.

Espalhar um boato como esse além de ser perigoso, pode ser letal, principalmente porque infelizmente muitas pessoas acreditam nas chamadas “Fake News”, e repassam deliberadamente a mensagem através das redes sociais.

ENTENDA MELHOR A MENSAGEM FALSA

No boato que se espalhou, diz que a fórmula do Tamiflu, medicamento usado para tratar os infectados pela gripe influenza H1N1, é feito com a erva-doce.

Nos textos ou áudios compartilhados, um “falso infectologista” esclarece que o chá pode ser ingerido a cada 12 horas com os mesmos benefícios da versão farmacêutica.

“ATENÇÃO, ISSO É MENTIRA!”

Outro trecho da mensagem também fala  a suposta informação de que o número de casos de H1N1 no país está aumentando. Na verdade não está.

Leia mais: Ele cria cadeiras de rodas de graça para animaizinhos com deficiência

Segundo dados do Ministério da Saúde, até 31 de março de 2018 foram registrados 84 casos de H1N1 no Brasil, e 8 óbitos. Sem desmerecer mortes e doenças, mas é um número ínfimo em um país com mais de 200 milhões de pessoas.

COME É PRODUZIDO O TAMIFLU

Para esclarecer a questão de uma vez por todas, o Jornal Opção conversou com dois especialistas. À reportagem, os professores da faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Goiás (UFG) Edemilson Cardoso da Conceição e Pierre Santos garantem que a informação não é verídica.

“A substância ativa do medicamento Tamiflu, chamada de Oseltamivir é produzido em laboratório. A síntese química da substância em questão é complexa e compreende uma série de etapas”, explicou Edemilson, com certificação de Pierre.

A empresa Roche, fabricante do medicamento Tamiflu, também já se posicionou sobre o assunto e confirmou que não há relação entre o remédio e a erva-doce.

Antes de abandonar de vez a bebida, entretanto, o professor Edemilson lembra também que o chá de erva-doce pode ajudar a hidratar o organismo e acabar auxiliando na recuperação de estados gripais. “Mas só assim mesmo”, finaliza.

Ajude a combater as chamadas “fake news” , verifique sempre se uma notícia é verdadeira, antes de divulga-la!

Informações: Boatos.Org

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS