Muitas pessoas desejam mudar o mundo, mas como não podem fazer muito, resolvem não fazer nada. Mas ainda bem que nem todo mundo é assim.

Há pessoas que são iluminadas, como André Gondim, que preferem fazer o que podem para mudar o mundo aos poucos, mas para muito melhor.

O servidor público de Goiânia, constrói e doa cadeiras de rodas para cães que não conseguem andar.

Segundo André Gondim, a ideia inicial era apenas fazer o equipamento para o animal de uma amiga, mas o projeto cresceu de tal forma que “não dava para parar”.

“A ideia era fazer aquela cadeirinha, só que a emoção de ver aquele animalzinho andando foi tão grande e quando chegou no final do mês eu tinha feito 31. Daí eu entendi que que não dava para parar”, afirma.

Só pra se ter uma idéia, no mercado, cadeiras de rodas para cachorros são vendidas a partir de R$ 150. André tirava do próprio bolso cerca de R$ 50 para criar a sua própria.

Mas a onda de solidariedade se espalhou e depois de custear sozinho várias cadeiras, hoje ele consegue fazê-las graças a ajuda de voluntários.

Leia também: Viver o luto para não viver de luto

André faz as cadeirinhas com tubos de PVC e rodinhas de borracha conforme aprendeu assistindo a vídeos na internet. A medida que foi fazendo as peças, descobriu o melhor jeito para cada animal até chegar no modelo que tem atualmente.

Clientes agradecidos

Quando os donos recebem a cadeirinha de rodas para os seus animais mostram um misto de felicidade e emoção.

Foi o que aconteceu com a professora de música Maria Eli de Castro, que não segurou as lágrimas quando viu seu cãozinho andando novamente.

“O trabalho do André é maravilhoso, ele faz muita gente feliz. A gente quando tem um cachorro assim acha que não vai dar conta, que não adianta ter um cachorro assim, é preferível sacrificar. E não é nada disso”, conta.

Em agradecimento, ela ajudou no projeto doando várias rodinhas que servirão para construir novas cadeiras e permitir que outros cães também possam caminhar.

Fabrícia Sette, presidente da ONG Sete Vidas, que cuida de animais abandonados, o projeto é uma forma de mudar a vida dos bichos

“Quando cãozinho coloca a cadeira é como se as pernas tivessem voltado, ele não tem limites. São as pernas dele de novo”, salienta.

Assista a reportagem:

Que bom que no mundo existem pessoas como você, André!

Informações: G1

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS