Onil, uma pequena cidade perto de Alicante, na Espanha, não tem muitas atrações que a tornem famosa em nível mundial, mas na Península Ibérica é bastante conhecida: é considerada “o berço das bonecas e brinquedos “.

E é precisamente nesta área que conseguiram se destacar recentemente, já que a fábrica de brinquedos local Miniland – com mais de meio século de serviço em Onil – conquistou o reconhecimento de “Melhor brinquedo escolhido pela júri do ano 2020 ”.

E do que estamos falando? Esta é uma coleção inovadora de bonecos com síndrome de Down, uma comunidade que nunca foi representada historicamente em brinquedos comerciais.

A coleção faz parte da linha Mini Dolls, que a empresa desenvolve há algum tempo e que valoriza a diversidade. Nessa linda história, o grupo é formado por duas bonecas, duas bonecas com síndrome de Down, metade delas branca e a outra metade negra.

Victoria Orruño, diretora de marketing da empresa, comentou que a Miniland Dolls está sempre em andamento e ouvindo as consumidoras, por exemplo, fazendo bonecas caucasianas com cabelos castanhos ou ruivos em vez do clássico loiro.

“Ficamos felizes por termos alcançado este importante reconhecimento nacional e internacional, e não poderia ser em melhor momento, já que estamos no Mês da Conscientização sobre a Síndrome de Down. Por isso, reforça nosso compromisso em facilitar a normalização, o respeito e a integração desde a infância e nos incentiva a continuar dando vista aos coletivos que dela precisam. ” –Victoria Orruño no El Mundo-

A Miniland caracteriza-se por fazer brinquedos inclusivos que geram pensamento em quem os utiliza. Por exemplo, Emotions Buddy é uma coleção de bonecos com peças intercambiáveis ​​que ajudam a moldar diferentes expressões faciais, abordam alegria, medo, tristeza, raiva e amor.

Grande reconhecimento para uma fábrica de brinquedos que não seguiu a clássica visão ocidental da barbie loira magra; Miniland está dando visibilidade a quem nunca teve e que está à margem da sociedade.

Bravo!

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

RECOMENDAMOS