Ter uma habilidade na qual somos bons certamente é ótimo, mas aproveitá-la para ajudar os outros é excepcional. Algo que o chef Dino Impacliazzo deixa muito claro, tanto que se tornou famoso como o chef dos pobres.

Há mais de 15 anos, ele se dedica diariamente a cozinhar quilos e quilos de alimentos para as pessoas que estão em situação de rua na cidade de Roma.

Desde sua aposentadoria ele não parou de ajudar na empresa de sua fundação RomAmor, embora ele não cozinhasse mais para ganhar dinheiro, ele ainda queria que eles provassem sua comida. Independentemente de não ser mais por restaurantes chiques, ele continua a ter a mesma paixão por todos para experimentar o melhor que ele tem a oferecer.

Três vezes por semana, junto com seus colegas da fundação, visitam feiras e padarias em busca de alimentos para ajudar essas pessoas.

A inspiração veio quando um morador de rua lhe pediu dinheiro para comprar um sanduíche, pois o Chef Dino achava que poderia fazer muitos sanduíches com as mãos para este e outros. Foi assim que ele aproveitou sua popularidade para criar a fundação RomAmor .

Muitos lá cozinham e servem em diferentes partes da cidade, especialmente perto de estações de trem e ônibus.

“Procuramos envolver cada vez mais pessoas para que Roma se transforme numa cidade onde as pessoas se possam amar. Uma chapa quente e uma manta e compartilhe com alegria a vontade de dar sem querer nada em troca ”.–Dino Impacliazzo disse a Positizie –

Até agora conseguiu convocar 350 voluntários e estima que a cada ano sirva mais de 27.000 refeições. O conhecido “cozinheiro dos pobres” garante que os seus 90 anos não são problema e enquanto tiver forças continuará na cozinha a ajudar quem mais precisa.

Felizmente não faz tudo sozinho e está rodeado de pessoas empenhadas, também de mercados e locais empenhados em colaborar com a alimentação.

É incrível como uma única pessoa pode fazer tanto pelos outros, também motiva os outros a ajudar e sair de sua zona de conforto. Embora muitos vejam apenas um prato de comida, outros podem ver um homem idoso que enche não só estômagos, mas também corações com sua bondade.

 

Vamos torcer para que ele tenha muita vida, mas não apenas para ajudar os outros, mas para desfrutar essas boas ações.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

RECOMENDAMOS