Por Dr Victor Sorrentino

Considerada uma PLANTA SAGRADA na Grécia Antiga, afinal… o que é que a couve tem de tão interessante?

Para começar, a quantidade de flavonóides e carotenóides presentes na couve é bem impactante, e essas substâncias como sabemos, protegem contra os radicais livres que levam à oxidação, ou seja, a couve é um alimento altamente antioxidante!!

Vale lembrar que a couve também possui flavonóides que agem exatamente contra o aparecimento e multiplicação das células cancerosas.

O suco verde é chamado de detox justamente pelo alto poder desintoxicante de alguns vegetais como a couve, isso acontece pois ela possui substâncias que ajudam no processo de destoxificação do corpo, como o enxofre, que é importantíssimo na promoção da “limpeza” do organismo.

Na realidade, dentro da visão médica e na homotoxicologia, não podemos chamar verdadeiramente sucos verdes de detox, entretanto existem alimentos como a couve, que têm nutrientes e enzimas que participam desta processo.

Outro ponto interessante é que 100 g de couve crua possui menos de 30 calorias e quase zero de gordura, o que é de grande valia em uma dieta.

E nesses 100 g de couve você encontra 20% da quantidade diária necessária de fibra, que vai ajudar nos movimentos necessários para a digestão e auxiliar no gerenciamento do açúcar no sangue!

Leia também: O que é Abdômen distendido?

A couve é um excelente anti-inflamatório, e fonte riquíssima de Cálcio (muito mais do que o Leite de Vaca e sem os efeitos negativos do Leite), Potássio, Luteína, e Vitaminas C, A e K.

Algumas curiosidades: a couve oferece mais Ferro do que a carne, tem mais Vitamina C do que a laranja, e pasme, o Cálcio oferecido pela couve é ainda melhor absorvido pelo organismo humano do que o mesmo presente no leite.

A ingestão de couve faz bem para a pele, para os ossos, olhos, além de reduzir o risco de câncer e doenças cardiovasculares, reduzir o colesterol e auxiliar na perda de peso.

Vamos incluir a couve na alimentação?

Procure não fazê-lo por mais do que 3 vezes por semana, pois assim como a maioria dos alimentos, o excesso pode trazer algumas repercussões negativas a sistemas específicos, o que seria tema de um longo capítulo.

Acredito no pleno potencial da alimentação como fonte de prevenção e de qualidade de vida.

Já dizia o sábio Hipócrates, considerado pai da Medicina: que o alimento seja seu remédio e seu remédio seja seu alimento.

As fontes de vitaminas e nutrientes provindas da natureza que nos foi concedida são infinitas. E por que não nos aproveitarmos disso com mais frequência?

Optar por alimentos naturais e frescos, vegetais, verduras, leguminosas, oleaginosas, boas fontes de gorduras, peixes, carnes magras, frutas ao invés dos enlatados, embutidos, processados, embalados… por praticidade? Preço?

Não coloco nada acima da minha saúde e da saúde de meus entes queridos.

A saúde e a oportunidade de aproveitar uma vida cheia de fôlego, ânimo e força são as grandes bençãos das quais gozamos durante nosso tempo na Terra.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS