Por: Equipe da Revista Saber Viver Mais

Priscila Fantin é a atriz da Globo com uma das carreiras mais promissoras.

Mesmo com o sucesso tanto na televisão como no teatro, desenvolveu um quadro de depressão em 2008.

A atriz comentou com Mariana Godoy, sobre esse transtorno, ” A depressão é uma morte em vida. Você não sente nada, nem tristeza, nem raiva, alegria, nada”

Após 10 anos ela superou o quadro de depressão, e conta que algumas atitudes foram fundamentais.

“O esporte me ajudou muito. Me ajudou a sair da estagnação. […] O teatro também é muito curativo, transformador. Me ajudou bastante”, declarou a atriz.

Priscila comenta que os trabalhos sociais foram importantes para sair desse período conturbado. “Tenho uma preocupação humana muito grande. Acho que falta humanidade para os humanos. A gente se olha muito pouco no olho e estende muito pouco a mão. Tem muita gente precisando”.

Leia também: Nobel de medicina é categórico: Jejum é muito melhor do que comer a cada 3 horas

O esporte ajuda a combater a depressão

Priscila Fantin, cita que o esporte foi parte fundamental para que melhorasse  o quadro depressivo. De fato existem estudos científicos que comprovam que para o tratamento do quadro depressivo, a prática regular de atividade física ajuda bastante.

Seus efeitos antidepressivos têm recebido a atenção de pesquisadores em todo o mundo por ser um método eficaz tanto para a prevenção quanto para o controle da doença.

Durante a realização de exercícios físicos, o organismo libera dois hormônios essenciais para auxiliar no tratamento da depressão: a endorfina, popularmente conhecida como “hormônio da alegria”, por promover sensação de bem-estar, euforia e alívio das dores, e a dopamina, que apresenta efeito analgésico e tranquilizante. Ambos apresentam influência direta sobre o humor e as emoções.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Com informações:Estadão & Natue

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS