A tão esperada vacina contra os efeitos da demência por Alzheimer está em sua fase final e já deve ser testada em humanos. A vacina foi desenvolvida por vários pesquisadores de pelo menos três Universidades: Universidade da Califórnia (EUA); Universidade de Flinders (Austrália) e Instituto de Medicina Molecular (EUA), o bom deste experimento é que apresentou excelentes resultados nos testes realizados com camundongos. A equipe afirma que o estudo está nas fases finais, e logo será utilizado nos testes de seres humanos.

Alívio e esperanças para os pacientes

Por definição, a demência e o Alzheimer dizem respeito a um processo de deterioração da memória e pensamento, o que acaba afetando a realização de atividades cotidianas. Assim, o que leva a esta degeneração é o acúmulo de certas proteínas no cérebro que resultam sempre em danos neurológicos. O objetivo desta vacina é eliminar o acumulo deste tipo de proteínas e cessar a neurodegeneração. Com os camundongos, observou-se que tais problemas neurológicos, característicos do Alzheimer foram eliminados totalmente e a deficiência foi regenerada.

Otimista quanto à vacina, Nikolai Petrovsky, endocrinologista responsável pelos estudos, disse em entrevista à ABC que os resultados dos testes foram excelentes e animadores. Contou que a equipe está planejando para os próximos meses os testes finais em humanos, assim que os efeitos da pandemia da Covid-19 estiverem minimizados.

Com informações: AUONLINE

RECOMENDAMOS