Jim McCans um homem de meia idade, saudável resolveu fazer uso de cápsulas de chá verde.

O chá usado como suplemento, de acordo com os médicos acabou gerando em Jim uma lesão hepática e a necessidade de um transplante de fígado com urgência, conforme Jim contou a Tristan Quinn, repórter da BBC.

O Susto

Jim estava na formatura do filho mais novo, ao sentar do lado da sua esposa, Cathleen, no auditório da escola, veio o susto. A esposa perguntou se Jim estava se sentindo bem, ele prontamente respondei que sim. Mas não estava.

Ele estava com um tom de pele amarelo e os olhos amarelos, Jim entrou em choque quando se olhou no espelho.

Na época com 50 anos, estava se esforçando para adotar um estilo de vida mais saudável e perder peso, cuidando da alimentação e praticando exercícios físicos regularmente.

Investigando o problema

Logo após a formatura, Jim foi internado às pressas com suspeita de lesão hepática, os médicos logo de imediato descartaram o álcool.

“Nos últimos 30 anos, talvez eu tenha tomado seis latas de cerveja por ano, nada de vinho. Então, o álcool não estava muito presente na minha vida”, conta.

Também afastaram a hipótese de ter sido provocada por algum medicamento – ele não estava tomando nenhum na época – ou por cigarro, uma vez que ele nunca foi fumante. “Então, meu hepatologista perguntou: ‘E suplementos sem receita?’.”

O pior dos cenários

Jim estava tomando o suplemento de chá verde havia dois ou três meses quando ficou doente. De acordo com o prontuário, essa é a causa presumida de sua lesão no fígado.

“Foi chocante porque eu só tinha ouvido falar sobre os benefícios. Nunca soube de nenhum problema”, completa Jim.

Foi uma longa espera de três semanas, após passar por uma bateria de exames onde foi constatado o pior dos cenários. Foi então que a médica deu a pior notícia para Jim:

“Você precisa de um transplante de fígado. Tem que ser rápido. Você tem dias – nem uma semana.”

“Tudo isso parecia muito sombrio para mim. E ficou cristalizado o que é realmente importante na vida. Eu não estava pensando em projetos do trabalho. E sim em várias pessoas que eram importantes para mim por razões diferentes.” disse Jim totalmente atordoado com a notícia.

Chá Verde

Os cientistas não sabem ao certo. Como o chá verde é consumido há milhares de anos, os suplementos – que são sua forma concentrada – são regulamentados nos EUA e na Europa como alimentos, e não medicamentos.

Isso significa que não são necessários testes de segurança específicos e, portanto, a perspectiva científica de como podem afetar nossa saúde é inconclusiva.

“Se você toma quantidades pequenas de chá verde, não tem problema”, diz o professor Herbert Bonkovsky, diretor de cuidados com o fígado da Escola de Medicina da Universidade Wake Forest, na Carolina do Norte, que acompanha lesões relacionadas a suplementos de chá verde há quase 20 anos. “O risco maior é para quem consome extratos mais concentrados.”

A preocupação gira em torno de um ingrediente potencialmente tóxico chamado epigalocatequina-3-galato (EGCG), composto natural com propriedades antioxidantes mais abundante no chá verde, as catequinas.

É provável que haja uma série de fatores que podem deixar um indivíduo suscetível às ameaças do EGCG, incluindo a genética, e a forma como os suplementos são usados.

“Normalmente, as pessoas tomam esses extratos de chá verde para tentar perder peso, então, muitas vezes estão sem comer”, explica Bonkovsky.

“Nós sabemos, a partir de estudos realizados com animais, que animais em jejum absorvem um percentual muito maior de catequina do que animais bem alimentados. Pode haver outros fatores relacionados a medicamentos, outros produtos químicos e consumo de álcool, que também são importantes fatores de alteração.”

Antioxidantes

Os antioxidantes combatem os radicais livres, moléculas produzidas em nossas células à medida que transformam oxigênio e alimento em energia. Assim como o oxigênio e a água corroem o ferro, muitos radicais livres podem danificar nossas células.

Existem pelo menos 80 casos de lesões hepáticas ligadas ao produto foram registrados em todo o mundo – de lassidão (cansaço extremo) e icterícia a casos que exigem transplante de fígado.

O Transplante

Após ser informado sobre a necessidade do transplante, Jim recebeu a notícia de que haviam encontrado um doador.

“Fiquei radiante. O telefonema me deu esperança de que haveria algo positivo no fim de tudo”, diz ele.

O transplante de fígado salvou a vida de Jim. Mas, quatro anos depois, ele ainda tem sérios problemas de saúde, incluindo uma doença renal que pode demandar hemodiálise e um transplante no futuro.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Informações: G1

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS