EcoDom, uma startup em Puebla, México, está combatendo os problemas de poluição por plástico e pobreza extrema com uma solução muito inteligente.

Eles têm levado a massa de lixo plástico do país e reciclada em materiais de construção para moradias populares e, com cerca de 5 milhões de toneladas de plástico consumidas no México anualmente, não têm falta de matéria-prima para trabalhar.

As matérias-primas são abundantes: o México é o 12º maior consumidor de plásticos do mundo. Primeiro, o EcoDom começa coletando resíduos de plástico usados ​​de qualquer tipo e, em seguida, classificando-os em um tipo que derreta sem liberar gases tóxicos. Em seguida, eles usam uma máquina para cortar o plástico em pequenos pedaços.

7 dias

Após esse processo, são moldados grandes painéis que são usados como paredes e tetos para construir casas isoladas.

As casas são relativamente grandes e têm cerca de 130 metros quadrados, com dois quartos, um banheiro, sala de estar e cozinha. “Leva apenas sete dias para construir uma casa que usa duas toneladas de plástico”, disse González.

As propriedades duráveis, impermeáveis ​​e acessíveis do plástico proporcionaram uma vantagem competitiva.

“[Uma casa] mantém você aquecido, os custos são baixos, é ótimo para o meio ambiente e vai durar 100 anos sem desmoronar”, garantiu o fundador da EcoDom.

Extrema pobreza

No México, 11,5 milhões de pessoas – quase 10% de toda a população do país – vivem em extrema pobreza. Puebla, onde está sediada a EcoDom, é um dos estados mais pobres do México, com 64% da população vivendo na pobreza. Segundo González, isso geralmente significa que as pessoas em seu bairro têm as necessidades básicas de alimentação e moradia.

“Vivo em um lugar com muita pobreza e problemas de marginalização”, disse González. “Algumas pessoas vivem em condições realmente deploráveis, lugares que você nem mesmo pode chamar de casas. Minha visão é muito clara. Tenho a convicção de ajudar o máximo de pessoas que puder a ter uma vida digna, livrando-me da pobreza extrema, limpando meu país ao mesmo tempo. ”

Com informações:SNB

RECOMENDAMOS