Quem tem um cachorro em sua vida tem uma fortuna. Esta é uma afirmação que poucos vai se surpreender, especialmente aqueles que têm desfrutado da companhia de um anjo com quatro pernas e foram abençoados com estes seres maravilhosos.

Nós recebemos um amor intenso e único deles. E eles se tornam a nossa família, a sabedoria tremenda, crianças eternas e imensa inteligêngia emocional, portanto, eles acabam sendo os melhores conhecedores de nossos costumes, sentimentos e pensamentos. Os melhores conhecedores e os maiores merecedores dos nossos sorrisos.

Com apenas um olhar eles decifram nosso estado emocional, nos acompanham, nos divertem e nos fazem sentir especiais, únicos e essenciais. Com as suas leis de propriedade particulares (que têm direito a todos) e os seus bonitos olhos suplicantes, levam de nós até mesmo o que juramos que nunca iamos permitir (por exemplo, dormir na nossa cama).

As regras do cão para o seu humano

Existem certas regras que quando você mora com um cachorro são inquestionáveis. Assim, nossos animais nos educam, domesticam ou treinam, como preferimos chamá-lo. Eles colocam os princípios da coexistência e a “luta”por seus próprios direitos acaba se tornando uma luta tenra e divertida.

Assim, não podemos deixar de sorrir quando os identificamos com suas regras surpreendentes de ditadores carinhosos da casa. Vamos ver:

Regra  1: Você deve me dar para experimentar tudo o que você come.

Regra  2: Não me anime e depois me coloque no banheiro em qualquer circunstância.

Regra 3: Você não vai mais sozinho no banheiro para fazer suas necessidades.

Regra 4: Não me diga para calar a boca quando eu começar a latir, eu tenho minhas razões. Algo está acontecendo lá fora !!

Regra 5: Eu vou dormir em qualquer lugar da casa, de preferência onde fica o seu caminho.

Regra 6: Você não pode entrar na casa cheirando outros cães e pensar que não terá consequências.

Regra 7: Deixe-me sair sempre que eu perguntar, mesmo que acabei de entrar. Eu preciso ter certeza de que cheirei tudo corretamente.

Regra 8: Você tem permissão para dormir na cama, mas você não precisa se mover, é melhor se colocar em um canto e não me incomodar.

Regra 9: Se cair no chão, é meu! Eu vou olhar para você triste se você não me deixar pegar.

Regra 10: Não pense em sair de um quarto sem mim.

A riqueza emocional de compartilhar a vida com um animal

Seja um cachorro, um gato ou um coelho, compartilhar nossa vida com um animal é uma bênção , porque nos ensina a respeitar, amar e estruturar a vida de uma maneira diferente. Há muitas pessoas que pensam que ter um animal o limita, porque, por exemplo, você não pode ir a qualquer lugar com eles em férias ou você tem que levar em conta muitas outras necessidades.

Mas quem tem um cão ou qualquer outro animal sente isso como parte de sua família e os sentimentos compensam todos aqueles “pequenos inconvenientes”.É verdade que se não dividíssemos a vida com eles, nosso portfólio seria mais completo, mas nosso coração ficaria mais vazio.

O que eles trazem a você emocionalmente e fisicamente supõe uma enorme riqueza que não pode ser compensada com todo o dinheiro do mundo. Assim, aprender o que é ter um animal, entender como você os ama e completar a nossa família com a sua presença é uma oportunidade que todos devemos ter em nossas vidas.

É claro, sempre com consciência e respeito, saber como os amantes de animais sabem que cuidar e amar um deles é uma responsabilidade que não pode ser ignorada e que nos oferece a possibilidade de adquirir um grande conhecimento em diversas áreas da nossa vida.

“Porque especialmente a nossa maior riqueza quando desfrutamos da sua companhia é a emocional, que é incomparável e nos faz imensamente felizes. Essa é a nossa maior fortuna”

  • Siga a Revista Saber Viver Mais no Instagram aqui.
  • Curta a Revista Saber Viver Mais no Facebook aqui. 

Texto originalmente publicado no Rincon del Tibet, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS