Mais do que nunca as pessoas vivem à procura de “algo” que os mantenham jovens e saudáveis por muito mais tempo. Atualmente, a neurociência (é a área que se ocupa em estudar o sistema nervoso, visando desvendar seu funcionamento) aponta que esse segredo existe, de maneira que basta apenas MEDITAR, assim a pessoa pode chegar aos 50 com um cérebro de 25.

Para chegar a esta conclusão, a pesquisadora Sara Lazar, da Mass General e Harvard Medical School, se dedicou a pesquisar os efeitos que a meditação exerce em nosso cérebro. No estudo inicial a pesquisadora utilizou pessoas que exerciam e já praticavam a meditação, pelo menos entre sete e nove anos, comparando com um outro grupo de controle.

Inicialmente a amostra estudada demonstrou que, as pessoas que tinham uma prática constante e regular da meditação apresentavam mais massa cinzenta em diversas áreas do cérebro, comparando-se com aquelas pessoas que não faziam esta prática. Constatou-se que as áreas cerebrais que apresentaram este aumento eram aquelas referentes a capacidade de decidir, registro de sensações e memória de trabalho.

Um dado extremamente intrigante foi que, à medida que a maior parte dos não praticantes da meditação viam seus córtices diminuírem com o passar da idade, os que praticavam a meditação aos 50 anos mantinham a mesma quantidade de massa cinzenta do que as pessoas que tinha a metade de suas idades.

Baseada nestes resultados surpreendentes, a pesquisadora fez um segundo estudo objetivando confirmas estas descobertas. Só que, desta vez foram utilizadas pessoas que não tinha a experiência anterior de meditar, assim elas se dedicaram a um programa de mindfulness que durou oito semanas.

O resultado também foi intrigante, constatou-se que as mudanças em algumas regiões do cérebro eram visíveis, apresentando aumento em certas regiões, como o hipocampo esquerdo, que é encarregado pela aprendizagem, memória e equilíbrio emocional, bem como as regiões ligadas à empatia e geração de neurotransmissores. Mais curioso ainda foi a constatação que, a amídala, associada ao medo, ansiedade e agressão, apresentou uma diminuição, o que provavelmente é relacionado ainda à redução dos níveis de estresse entre os participantes.

Será que preciso então ficar horas meditando para alcançar este progresso?
A resposta é NÃO. No caso do estudo, foi sugerido que os participantes praticassem a meditação por aproximadamente 40 minutos por dia, contudo, a média praticada por eles foi de 27 minutos por dia, ou seja: menos de meia hora. Dentro deste campo de meditação, outros estudos sugerem que às pessoas que os benefícios obtidos pela meditação aparecem com tempos menores, entre 15 e 20 minutos por dia, por exemplo.

Com informações: Hypeness

RECOMENDAMOS