Publicado originalmente no site Pensar Contemporâneo

Chamar um cão de “melhor amigo do homem” dificilmente parece cobrir a relação entre cães e pessoas. Eles são leais, gentis e oferecem amor quase incondicional, alegria e entusiasmo sem fim e, ocasionalmente, muito carinho. Eles estão sempre felizes em vê-lo, nunca se cansam da sua presença, e não importa se você se faz de tolo. Eles são algumas das maiores criaturas deste planeta, companheiros verdadeiramente maravilhosos que se sentem membros da família e os únicos animais que evoluíram especificamente para serem amigos dos humanos.

Enquanto todos os donos de animais têm anedotas pessoais, a internet oferece muitos vídeos de cães se reunindo com os donos, e como disse o autor Kinky Friedman, “o dinheiro pode comprar um bom cachorro, mas só o amor pode fazê-lo abanar o rabo”.

Há também muita ciência para apoiá-lo. Pesquisadores submeteram filhotes a um escaneamento de ressonância magnética e observaram as mudanças na atividade das regiões cerebrais quando certos eventos ocorriam.

Eles então ofereceram guloseimas aos cães (todos eram muito cães dóceis, aparentemente) e, em seguida, pediram que os proprietários elogiassem os filhotes. Eles descobriram que os cérebros dos cães mostravam uma resposta ao elogio de seus donos semelhante a de quando recebiam suprimento de alimentos. Para alguns cães, o elogio de seus donos é um incentivo ainda mais eficaz do que a comida.

Então, os cães amam seus companheiros humanos e quando esse amor se vai, pode ser incrivelmente difícil de passar. Também funciona nos dois sentidos: apenas olhar para os cães pode fazer as pessoas sorrirem.

Não é de se admirar que os donos de cães sentem muito a falta deles quando se vão. Como muitos de nós sabemos, infelizmente, os humanos tendem a sobreviver aos cães, de modo que o autor de A Dog’s Purpose, W. Bruce Cameron, escreveu: “Quando você adota um cachorro, tem muitos dias bons e um dia muito ruim.

Quando um animalzinho morre, a perda pode parecer insuportável. De fato, às vezes, essa perda pode parecer tão ruim – ou até pior – do que a perda de um amigo ou parente humano. Isso não é apenas anedótico: estudos confirmam que, para a maioria das pessoas, a perda de um cão é comparável à perda de um ente querido humano, em quase todos os aspectos. De acordo com a Scientific American, “os sintomas de luto agudo após a perda de um animal de estimação podem durar de um a dois meses, com sintomas de luto persistindo até um ano inteiro (em média).

Por que os humanos sentem uma perda tão profunda para seus animais de estimação?

Porque os cães são muito mais do que animais de estimação. Como a psicóloga Julie Axelrod escreve em um post no blog, a perda de um cachorro é tão dolorosa porque as pessoas estão perdendo uma pequena vida pela qual fomos responsáveis, bem como uma fonte de amor incondicional e companheirismo. Há uma razão que a maioria dos animais de apoio emocional são cães.

Axelrod também observa que, para muitas pessoas, os cães servem como um companheiro principal que proporciona segurança e conforto. A pesquisa mostrou que os cães ajudam as pessoas a sair de suas casas, servem como catalisadores de “coesão e confiança”; a troca recíproca de favores entre vizinhos; e maior participação em eventos cívicos e questões sociais. ”Eles também estão cientificamente comprovados para servir como um“ lubrificante social ”que promove interação e conversação entre estranhos.

Perder um cão significa perder essa motivação para sair de casa para um passeio no parque, perder o motivo para conversar com um estranho em uma rua e perder essa conversa fácil também.

Uma pesquisa mostra que os cães reconhecem as pessoas e podem aprender a interpretar os estados emocionais humanos somente a partir de sua expressão facial. Estudos científicos também indicam que os cães podem entender as intenções humanas, tentar ajudar seus donos e aprender a evitar que as pessoas que não cooperam tratem bem seus donos ou as ajudem em seu momento de necessidade. Basicamente, quando você perde o seu cão, você perde o seu apoio também.

Embora perder um animal de estimação seja doloroso e avassalador, infelizmente, também pode ser um processo muito solitário, pois muitas pessoas não entendem o sentimento de perda e não reconhecem que o processo de luto para um animal de estimação pode ser tão longo quanto por um humano.

Por causa disso, o apoio da comunidade tipicamente associado à morte está ausente quando um animal de estimação morre. Normalmente, os amigos não deixam pratos quentes ou enviam cartões de luto. Para piorar a situação, os donos de luto podem sentir-se envergonhados com a extensão do seu próprio coração partido e sentir vergonha de chegar aos amigos para o conforto.

Se você perdeu um animal de estimação, tire um tempo para se lamentar. Não se envergonhe do seu luto por quem foi mais que um amigo e pense, que embora um amigo seja sempre insubstituível, outras amizades tão bonitas quanto, podem ser inciadas entre você e um novo animalzinho.

Via: Pensar Contemporâneo

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS