Por: Redação da Revista Saber Viver Mais

Uma nova técnica foi desenvolvida para o tratamento de artrose, o aparelho combina laser e ultrassom, diminui o tempo de tratamento em 20 dias. O aparelho foi desenvolvido por Pesquisadores do Instituto de Física da Universidade de São Paulo IFSC-USP), de São Carlos (SP).

Artrose

A artrose, também chamada de osteoartrose, é o desgaste da cartilagem que reveste nossas articulações ou juntas, que faz parte do envelhecimento global do organismo humano, como as rugas ou as chamadas manchas senis em nossas mãos. Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), cerca de 50 milhões de brasileiros sofrem de artrose.

O tratamento  para artrose é feito atualmente com remédios associados a terapias complementares com ultrassom ou laser e no total leva-se aproximadamente quatro meses para começar a apresentar resultados. Pela primeira vez, porém, os cientistas combinaram as duas técnicas ao mesmo e comprovaram um alívio significativo nas dores dos pacientes em menos de 20 dias.

“Sendo mais rápido, ele é mais eficiente e menos prolongado para que o paciente possa voltar a sua situação normal e ter sua vida normal sem as características que a doença traz”, disse o pesquisador Vanderlei Bagnato.

Como funciona o tratamento?

O tratamento consiste em duas aplicações semanais, sendo 15 minutos por sessão, o tratamento experimental foi realizado em 300 pacientes da Santa Casa de São Carlos.

“Cerca de 90% dos pacientes que nós tratamos tiveram uma melhora muito grande com relação à dor e aumento da funcionalidade, ou seja, nas ações diárias, de caminhar, fazer atividades normais”, disse o pesquisador Antônio Eduardo de Aquino Júnior.

O estudo inclusive já foi publicado em revistas científicas internacionais, explica Bagnato, “O ultrassom são ondas mecânicas, agitação mecânica, que já tradicionalmente consegue algum efeito. O laser também, por ações fotoquímicas. O que foi surpresa para a gente é que a combinação dos dois tenha um efeito conjunto muito maior do que cada um, individualmente”.

Com informações:G1

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS