Por: Revista Saber Viver Mais

Pesquisadores da Austrália conseguiram registrar com a ajuda de drones, milhares de tartarugas marinhas que estavam ameaçadas de extinção.

O resgistro foi feito nas Ilhas Reine, em Queensland, na Austrália. O vídeo captado com a ajuda de drone, foi feito por Christian Miller, nele, os pesquisadores estimaram uma colônia com mais de 64 mil tartarugas verdes.

A captura das imagens foram feitas em dezembro de 2019 e divulgadas no dia 10 de junho pela Great Barrier Reef Foudation.

A pesquisa

O projeto de Recuperação da Ilha Raine, mostra milhares de tartarugas ao redor da ilha, esperando para colocar os ovos. O principal autor do artigo, Andrew Dunstan, do Departamento do Meio Ambiente e Ciência (DES), informou que os pesquisadores estão investigando maneiras diferentes de conduzir pesquisas e judar as populações de tartarugas.

Os cientista trabalham fortemente para proteger a espécie que está ameaçada de extinção e por essa razão fazem um acompanhamento diário do deslocamamento das tartarugas.

O método usado anteriormente para ratrear as tartarugas era com tinta não tóxica assim que chegavam na areia da praia para colocar os ovos. A observação era feita de um barco, mas era uma tarefa muito difícil e nada confiável para realizar a contagem.

“Tentar contar com precisão milhares de tartarugas pintadas e não pintadas de um pequeno barco em condições meteorológicas ruins foi difícil. Usar um drone é mais fácil, seguro e muito mais preciso, e os dados podem ser armazenados imediata e permanentemente”, afirmou.

“A proporção de tartarugas não pintadas e pintadas nos permitiu estimar a população total em dezembro passado em 64.000 tartarugas verdes”.

Reconstrução de praias

Anna Marsden, diretora da Fundação Great Barrier Reef, informou que o grupo vem tomando medidas para melhorar e reconstruir as prais de nidificação (ninhos) da ilha.

Além de construir cercas para evitar a morte de tartarugas, o grupo trabalha para o fortalecimento e garantia da sobrevivência das tartarugas verdes do norte e outras espécies.

Anna Marden, disse que futuramente todo o processo poderá ser automatizado, sendo possível fazer a contagem usando inteligência artificial.

Veja:

Com informações: SNB

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS