Como parte de uma campanha destinada a cumprir as metas climáticas estabelecidas pelo Acordo de Paris, o governo australiano está se preparando para plantar um bilhão de árvores.

O projeto, que será executado até 2050, tem potencial para remover mais de 16 milhões de toneladas de gases do efeito estufa por ano. A ideia foi vista como um exemplo intrigante e de resposta mais rápida sobre as mudanças climáticas, servindo de exemplo para muitos países que não estão cumprindo o acordo.

Segundo pesquisas feitas pela ETH Zurich, na Suíça, uma ampla campanha de plantio de árvores em todo mundo poderia reduzir significativamente o dióxido de carbono na atmosfera, o suficiente para anular até uma década de emissões.

Para o pesquisador Thomas Crowther, da ETH Zurich, as árvores são “nossa arma mais poderosa na luta contra as mudanças climáticas.

Embora um bilhão de árvores seja um bom começo, a quantidade ainda é substancialmente menor do que 1,2 trilhão que Crowther e seus colegas estimam que a Terra conseguiria suportar, que poderiam ser plantadas em parques, bosques e terras abandonadas em todo o planeta.

Se essa meta fosse alcançada, para o ecologista Thomas Crowther, ela superaria qualquer outro método para combater as mudanças climáticas – incluindo a construção de turbinas eólicas a dietas vegetarianas – já que o consumo de carne contribui para o aquecimento global pelo impacto que a pecuária provoca.

É uma coisa bonita porque todos podem se envolver”, disse Crowther ao The Independent. As árvores literalmente tornam as pessoas mais felizes em ambientes urbanos, melhoram a qualidade do ar, a qualidade da água, a qualidade dos alimentos, o serviço ecossistêmico, é uma coisa tão fácil e possível”, finalizou.

Fonte: Jornal Ciência

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS