A ida à oficina mecânica é o pior pesadelo de muitas mulheres. Resolver problemas que surgem no carro não é nada fácil quando você não tem afinidade com o assunto e não conhece boas dicas de mecânica.

Pensando nisso é que a mecânica Thais Roland, 37, ensina a mulheres a nunca mais caírem em golpes na oficina. Com uma profissão que é dominada amplamente por homens ela conta um pouco do que encarou nessa carreira.

“Desde pequena, sou apaixonada por carros. Meu avô fazia pequenos reparos nos veículos de casa e dos vizinhos, e eu ficava sempre do lado, colada. Eu amava aquilo. Mas quando chegou a época de definir minha carreira, nem passou pela minha cabeça trabalhar com isso”. afirma Thais

Ela também falou das dificuldades encontradas na própria família: “É que ainda tem essa cultura de trabalho de homem e de mulher. Então, muitas vezes, em casa, nem a família abre essa oportunidade. Foi o que aconteceu comigo. Ninguém deixaria uma garota de 17 anos se enfiar numa oficina”.

Como tudo começou

No início Thais trabalhava com tecnologia em empresas, durante 15 anos construiu sua carreira em rede de computadores. Porém a paixão por carros e mecânicas nunca sumiu e virou um hobby.

Foi em um evento em 2008 que ela teve um insight. “Foi um dia delicioso, em que me diverti muito e me reconectei com algo que me estimulava. Ao mesmo tempo, ainda era um lugar desconfortável. Aquele padrão de mulher embalada a vácuo do lado do carro, os caras cantando as meninas, tirando foto… E eu, que estava lá sozinha, perguntava coisas para os atendentes dos estandes e não era levada a sério”.

Voltando para casa,  estava feliz porém angustiada por ter sido ignorada nos estandes por ser mulher. Foi que Thais teve uma brilhante ideia: “Isso não é coisa só de homem. Vou fazer um blog. E assim surgiu o “Coisa de meninos nada”.

“Larguei meu emprego na multinacional e fui ser mecânica”.

No início ela falava de carros, tecnologia e que mais quisesse em um blog pessoal. Foi até que em 2011 ela já estava cansada de trabalhar com computadores e decidiu tomar um rumo diferente na sua vida. “Uma amiga comentou sobre um curso técnico de manutenção automotiva no SENAI, que era de graça. Eu arrisquei, fiz a prova e passei. Foi uma iluminação. Eu amava estar estudando aquilo. Mas nem cogitava mudar minha vida. Trabalhava em multinacional, ganhava bem, era casada. Estava tudo bem, teoricamente. Por coincidência, houve uma troca na chefia da minha área na empresa e o novo chefe me demitiu. Bem, eu saí com um dinheiro bom, então decidi procurar estágio em oficina, e e não saí mais!”

No primeiro dia quando voltou para casa Thais conseguiu colocar um carro para funcionar foi quando decidiu:  “É isso que eu quero fazer para o resto da vida”

Ensinando a conhecer o carro para não ser enganada

“Retomei o blog, comecei a escrever mais e estudar, também. Logo mudei para uma outra oficina, onde o dono era muito cabeça aberta e tivemos a ideia de fazer, aos sábados, um café da manhã com as clientes, onde eu mostrava para elas o que fazia no carro quando vinha para revisão. Era demais!”

Thais percebeu que muitas mulheres são enganadas nas oficinas que ela viu a oportunidade de realmente ajuda-las. Atualmente Thais, não trabalha mais em oficinas.

Trabalhando atualmente com consultoria para mulheres que querem consertar seus carros ou até mesmo conselhos para comprar um carro novo, ela produz vídeos e textos com a intenção de mostrar para as mulheres que a manutenção do carro não é um bicho de sete cabeças.

Mas ela saliente que algumas coisas realmente exigem profissionais capacitados, mas outras a mulher consegue fazer em casa. Ela ainda salienta que aimportância de conhecer o seu carro: “É importante ter conhecimento, poder ir ao mecânico sabendo discutir se precisa mesmo trocar aquela pastilha”.

  • Siga a Revista Saber Viver Mais no Instagram aqui.
  • Curta a Revista Saber Viver Mais no Facebook aqui. 

Informações:Universa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS