Atenção! Pode parecer inacreditável, mas temos ótimas notícias para compartilhar. 2020 acaba de ser salvo de ser o pior ano de todos os tempos.

No Dia Mundial do Elefante, o Serviço de Vida Selvagem do Quênia anunciou que, nas últimas três décadas, o Quênia conseguiu dobrar sua população de elefantes. Sim, você leu isso corretamente. Os números cresceram de 16.000 em 1989 para 34.800 no final de 2019.


Pixabay

O Serviço de Vida Selvagem do Quênia compartilhou as boas notícias em sua página do Facebook

A notícia foi anunciada pelo Diretor do KWS, John Waweru, durante uma visita ao Parque Nacional Amboseli para marcar o Dia Mundial do Elefante.

“Nos últimos anos, conseguimos controlar a caça ilegal neste país”, disse o ministro do Turismo do país, Najib Balala, no evento.

Infelizmente, a situação não é a mesma nas outras regiões africanas

De acordo com a Fox News, “o governo queniano impôs penas de prisão mais longas e multas maiores para caçadores furtivos e contrabandistas como parte de sua repressão ao comércio de marfim”. E parece que esse novo sistema está valendo a pena. Acontece que, ao longo de 2020, o Quênia viu apenas sete elefantes caçados, em comparação com 34 em 2019 e até 80 em 2018.

“Só este ano, nasceram cerca de 170 filhotes de elefante”, anunciou Najib Balala no evento


Pixabay

“Os elefantes são um dos recursos naturais que foram capturados pela ganância humana por um lado e pelas necessidades humanas por outro”, disse o Diretor Waweru do KWS. “Então aí temos uma dicotomia”.

“Hoje também estamos lançando a campanha mágica de nomeação de elefantes no Quênia, um festival anual cujo objetivo será coletar fundos da nomeação, para apoiar o bem-estar dos Guardas”, disse Balala, referindo-se aos guardas armados cuja tarefa é deter os caçadores furtivos.

Texto originalmente publicado no Bored Panda, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS