Certamente ouvimos alguns casos de cães que mataram ou maltrataram seres humanos – é impossível negar que isso tenha acontecido; mas se tenho certeza de alguma coisa sem ter números oficiais é que causamos muito mais danos aos animais de estimação do que eles nos causam.

Um exemplo disso que um amigo de quatro pata pode ser melhor que um ser humano vem do Uruguai, onde um cão de raça Rottweiler (de acordo com a mídia local) cuidou de um bebê recém-nascido, salvando sua vida após ser abandonado por sua mãe.

Segundo o jornal El País, a mãe de 22 anos deixou o garotinho ao ar livre, após dar à luz em um galpão. Por volta das 7h30 da manhã do dia seguinte, quando um aldeão foi ao seu ateliê para trabalhar, ele notou que o seu cão estava muito nervoso.

O animal guiou seu dono até onde estava o bebê. O cachorro havia ficado com a criança a noite toda. Surpreso, o homem rapidamente pegou o bebê e o levou para o hospital: a criança, nascida há 16 horas, estava com hipotermia. Como se isso não bastasse, na véspera o filho do homem que salvou o bebê com o cachorro ligou para lhe dizer que sua nora havia sofrido uma hemorragia.

Dias depois, as pontas soltas estavam amarradas: acontece que o cachorro salvou o neto do dono da oficina, já que a mãe que deixou a criança na rua era a esposa do seu filho. A mulher foi hospitalizada após o que aconteceu e, embora a causa do abandonado não tenha sido divulgado, descobriram que ela sofria de sérios transtornos psiquiátricos.

Um exemplo perfeito de que uma boa ação pode ser mais valiosa do que pensamos, e que “raças agressivas” são um estigma tolo.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS