Por: Revista Saber Viver Mais

O Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Alimentar da Argentina (Senasa), compartilhou uma foto no último dia 23, alertando sobre o perigo que uma nuvem de gafanhotos está trazendo na região, e que os insetos podem passar inclusive por uma parte do Rio Grande do Sul.

Depois de passarem pelo Paraguai, os insetos chegaram na Argentina na última semama. Os insetos conseguem se deslocar em grandes distâncias, devido aos fortes ventos que os impulsionam.

Segundo autoridades da cidade de Córdoba, eles estão monitorando a situação e já informaram que existe um protocolo de trabalho que pode ser ativado em caso de pragas.

Pelo Twiter o Ministério da Agricultura, também mostrou o impacto da passagem dos gafanhotos em uma plantação de milho, que após a passagem, ficou completamente destruída.

Alerta máximo no sul

As Superintendências Federais de Agricultura e os órgãos estaduais de Defesa Agropecuária,
estão em alerta máximo e vão começar o monitoramento das lavouras. Os agricultores serão orientados, a adotarem eventuais médidas de controle da praga, caso a nuvem chegue ao Brasil.

Mas o que causa a formação de nuvens de ganfanhotos?

Essas nuvens acontecem porque quando o número de insetos da mesma população tem um crescimento exagerado e com isso existe a falta de comida na região, fazendo com que todos os membros saiam atrás de alimento.

Uma nuvem de gafanhotos pode chegar a ter até 40 milhões de insetos, como informam as autoridades argentinas.

Apesar de ser capaz de destruir lavouras, os gafanhotos não ofercem riscos ou atacam seres humanos.

Com informações: R7

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS