Por Julia Moretto

Você já imaginou ficar por 20 minutos sem enxergar? Vendo apenas vultos, sem ter a certeza se essa sensação passaria ou seria para sempre?  Se você se assustou só em pensar, veja este caso:

Uma britânica de 22 anos, que não teve o nome revelado, sempre enxergou bem. Porém, começou a perceber que em algumas noites, sentia um incômodo no olho direito. Esse problema que ocorria de duas a três vezes por semana, passou a ser sempre presente.

Em uma certa noite, ela não conseguiu mais enxergar com este olho. A garota ficou desesperada e acordou a casa toda com gritos. O efeito passou após 20 minutos e a visão retornou ao normal. Devido ao susto, ela realizou exames oftalmológicos e cardiovasculares, mas os resultados não apresentaram nenhuma anomalia.

Segundo uma pesquisa publicada no Jornal de Medicina da Nova Inglaterra, esse tipo de cegueira acontece após a pessoa mexer no celular no escuro, enquanto está deitada na cama. O olho que é afetado é o do lado oposto ao que se está deitado. Segundo os especialistas, isso ocorre porque o olho apoiado no travesseiro não recebe tanta luz como o outro olho, que consequentemente perde a sensibilidade e acontece em cegueira temporária.

De acordo com os médicos, embora muitas pessoas vejam a tela com os dois olhos, algumas frequentemente usam o celular enquanto estão deitadas, quando um olho pode estar coberto mesmo sem que elas percebam.

O que tem preocupado os especialistas é que os fabricantes estão criando telas com mais brilho. Por isso, de acordo com o artigo médico, esse efeito ocorrerá cada vez mais vezes e os oftalmologistas precisarão estar preparados para atender este problema. A cegueira transitória dos smartphones (TSB) é um fenômeno real e pode contribuir pode contribuir no diagnóstico neurológico alterado.

Segundo os médicos, esse fenômeno era temporário e inofensivo. Ele pode ser evitado quando as pessoas olham para o celular com ambos os olhos. Os estudos sobre o tema ainda estão sendo analisados e não se pode afirmar se é possível que este tipo de cegueira se torne um problema.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Fonte: Jornal Ciência

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS