O abacate é uma das frutas mais bem vistas do ponto de vista nutricional. Eles possuem gorduras monoinsaturadas, vitamina E, fibras solúveis e minerais como ferro, cobre e potássio. Além, é claro, de serem muito saborosos – com um pouco de sal, limão e azeite, principalmente.

No entanto, nós não estamos aproveitando o máximo deles, pelo menos de acordo com uma equipe de pesquisadores presente na reunião anual da American Chemical Society. A parte verde-amarela do abacate é consumida sem cerimônias por milhões de pessoas todos os dias, mas na verdade não é a parte mais nutritiva da fruta.

Esse título vai para o revestimento que envolve o caroço no centro. Este óleo que compõe parcialmente a casca das sementes é carregado com produtos químicos antivirais, compostos anticancerígenos e componentes que ajudam a reduzir a probabilidade de coágulos sanguíneos aparecerem nas artérias.

A parte cerosa da casca contém produtos químicos que, quando processados, podem ser usados ​​para fazer peças de dispositivos médicos, aditivos alimentares e cosméticos. Em suma, essas cascas são verdadeiras “minas de ouro” de compostos úteis que, até agora, permaneceram desconhecidas.

Leia Mais: Esta raiz é melhor do que o Diclofenaco

Embora isso não signifique que você deva agora pegar essas partes e mastigar – especialmente porque elas não são comestíveis dessa forma – sugere que os abacates são mais valiosos do que achávamos.

A equipe, da Universidade do Texas, nos EUA, explica em uma declaração que eles secaram e arrumaram as cascas de 300 abacates, antes de colocá-las em um espectrômetro de massa, para fazer essa descoberta. Eles sugerem que no futuro, devemos estar reciclando esses caroços para que eles possam ser quebrados e transformados em uma variedade de compostos deliciosos, medicinais ou construtivos.

A nova pesquisa pode ser também uma boa notícia para o planeta. Abacates exigem muita água para crescer, muita terra para serem cultivados e são enviados por via aérea para exportação. Isto significa que eles geralmente trazem consigo uma pegada de carbono pesada, mais alta que quase todas as outras frutas e vegetais comumente consumidos. Um esquema para utilizar os caroços pelo menos tiraria mais proveito da fruta.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Informações: Hypescience

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS