Um acordo para vencer. As galinhas são alimentadas apenas com a praga que afeta as lavouras, os fazendeiros param de usar pesticidas que afetam o planeta, a qualidade de seus frutos e nossa saúde.

Apenas os mais ousados, que ousam inovar, obtêm resultados diferentes. Como Christophe Bitault, um arborista francês que se dedica a pomares e plantações há pelo menos 12 anos, sempre muito apaixonado em busca de novas formas de praticar sua profissão.

Não muito tempo atrás, ele decidiu instalar um sistema pouco convencional para preservar suas árvores frutíferas: usando galinhas pretas em seu pomar, deixando o pesticida de lado.

“Fizemos um primeiro teste colocando 80 galinhas em 3 hectares, deixando as outras parcelas sem nenhum tratamento” Christophe Bitault (produtor) na Demotivateur

Somente no primeiro ano, ele percebeu que 80% dos pequenos insetos haviam desaparecido, uma notícia espetacular levando em conta que os insetos matam até 90% de sua produção de frutas.

A ideia não era apenas do produtor, mas também de Dominique Biche, responsável pela arboricultura na Câmara de Agricultura.

Hoje, Christophe cria pelo menos 200 galinhas pretas que vivem em seus lotes e elas estão sendo tão eficazes que não é necessário gastar nem mesmo alimento, porque elas costumam ficar  satisfeitas, lembre-se que os insetos possuem grandes fontes de proteína. Não é só isso, suas galinhas também estão dando muito bons ovos, devido a alimentação natural.

Texto originalmente publicado no UPSOCL, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS