Essa é uma daquelas histórias que aquecem nossos corações e renovam a esperança na humanidade.

Um senhor já idoso entra em um conceituado restaurante de um bairro nobre de Belo Horizonte, descalço e com vestes desgastadas, em uma mão ele carregava uma sacola de plástico e na outra uma nota de R$ 50,00.

Normalmente nesses casos o senhor seria enxotado do local porque espera-se que ele iria desagradar os outros clientes. Mas é ai que começa a parte linda dessa história.

O Senhor gentilmente pediu um prato com frango, filé, uma garrafa de vinho e um refrigerante. O garçom então pediu para que ele aguardasse e conversou com o dono que prontamente permitiu que ele almoçasse como qualquer outro cliente. “O garçom veio me perguntar se ele poderia ser atendido. Eu respondi que sim. Se ele quer almoçar aqui, qual é o problema de estar malvestido?”, disse o dono do restaurante Benvindo de BH.

A advogada e professora Daniela Zapata que também estava no local quando o homem entrou no estabelecimento, sentiu-se muito tocada com a atitude. “Ele foi atendido com tanta dignidade que a gente ficou com um sentimento de alegria. Ele fez questão de pagar e parecia que havia se preparado para ir ao restaurante”, disse.

Ela fez questão de compartilhar a história em seu perfil no Instagram, e a foto já passa das 17 mil curtidas na rede social e viralizou na web:

Preste atenção nesta foto. O que você vê? Ela conta uma história. Uma história linda assistida por mim, @tatipratesmotta…

Posted by Daniela Lage Mejia Zapata on Tuesday, December 4, 2018

 

O restaurante Benvindo, não para de receber elogios dos internautas. O dono do restaurante comentou sobre a imagem do morador de rua que acabou viralizando na internet. “A gente ficou até assustado com a repercussão. Ele só quis almoçar e pagar por isso, né? Só isso”, o dono do restaurante.

Ele ainda complementou dizendo: “Eu até disse ao garçom que não precisava cobrar dele. Deixa ele comer, né? Fiquei com dó. Mas aí o garçom voltou dizendo que ele fazia questão de pagar. Achei muito bacana. Ele só queria ser tratado como um cliente qualquer”.

Informações:G1

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS