Luciene Freire é moradora de um dos prédios que caíram na manhã desta sexta-feira (12) na Muzema, em Itanhangá, zona oeste do Rio.

Ela conta que por volta das 1h30, uma das filhas acordou dizendo ter sonhado com a queda de um prédio.  “Minha filha teve um sonho de que um prédio ia cair. Quando fui no quarto dela tinha uma rachadura enorme.”

Luciena morava há dois meses no local,  chamou o marido e saiu do prédio imediatamente. Ela chegou a avisar alguns vizinhos, que não acreditaram e permaneceram no prédio. Segundo Luciene, o marido também continuou lá, mas saiu às 6h, cerca de meia hora antes do desabamento.

Luciene e suas filhas foram atendidas em um posto montado pela Secretaria Municipal de desenvolvimento Social. Um psicólogo foi levado para falar com uma das meninas, que sofre de Síndrome do Pânico.

“Nós estamos abalados, mas tô feliz porque estou com minhas filhas.”

O número de mortos no desabamento de dois prédios no Condomínio Figueiras do Itanhangá, na comunidade da Muzema, zona oeste do Rio, subiu para cinco.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, quatro corpos foram resgatados sem vida no local dos escombros, sendo que dois foram resgatadas por moradores, logo após o desabamento, antes da chegada dos bombeiros. Eles também resgataram cinco moradores com vida, que foram levados para hospitais públicos.

Com informações:R7

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS