Algum dia você já ficou incomodado porque foi passar a manteiga no pão, mas, visto que estava na geladeira, ela ficou muito dura e difícil de deslizar?

Por isso muita vezes deixamos a manteiga fora da geladeira, isso de certa forma é até compreensível, tendo em vista que a consistência do alimento é um dos fatores mais importantes na percepção do sabor durante a mastigação e é algo levado em consideração até mesmo pelas indústrias alimentícias.

Mas surge então uma questão: a manteiga deve ser guardada dentro ou fora da geladeira?

Bom para entender melhor essa questão, é preciso começar pelo processo de fabricação. A matéria-prima da manteiga é o creme do leite, que é gerado durante a pasteurização – o processo de esterilização. Esse creme, rico em gordura, é batido e submetido a um processo de nome engraçado, malaxagem, em que a água que ficou no interior da manteiga é retirada. O resultado é um produto formado basicamente por gordura láctea: 82%, contra 16% de água. Os 2% restantes são sal (ou não) e aromatizantes.

Ou seja a manteiga é basicamente leite, e requer cuidados no armazenamento. Fora da geladeira, bactérias e fungos fazem a festa sobre ela, deixando aquele gosto amargo e rançoso. Ainda tem o perigo de uma intoxicação alimentar.

Porém dentro do refrigerador, as temperaturas de 0 a 5 ºC freiam essa proliferação, estendendo sua vida útil.

Ok! mas então pode-se ou não deixar a manteiga fora da geladeira?

Se ela ficar muitas horas fora da geladeira, é aventura certa, mas calma. Isso não significa o fim do prazer de deslizar a manteiga molinha no pão.

É só não abusar: segundo o biomédico Roberto Figueiredo, especialista em higiene de alimentos, a manteiga pode ficar fora por até duas horas.

Mas, se você não está afim de acordar às 6 da manhã para tirar a manteiga da geladeira e depois ter que guarda-la atá as 8 horas, a dica é dica é deixá-la na porta da geladeira, onde a temperatura é mais baixa, ela vai ficar mais macia.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Com informações: Super Interessante

Crédito foto: Mind Food

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS