Por: Revista Saber Viver Mais

Willian Bryan, consultor de ciência e tecnologia do Departamento de Segurança Interna, disse a repórteres na Casa Branca, que cientistas do governo dos EUA, apresentaram uma esperança para diminuir a propagação do Coronavírus durante o verão.

O coronavírus é rapidamente destruído pela luz do sol, o estudo foi feito por cientistas que afirmaram que os raios ultravioletas têm um impacto potente sobre o vírus. A esperança é que a propagação diminua significativamente durante o verão no hemisfério norte.

“Nossa observação mais impressionante até o momento é o poderoso efeito que a luz solar parece ter sobre a morte do vírus, tanto na superfície quanto no ar”, disse ele.

“Vimos um efeito semelhante tanto com a temperatura quanto com a umidade, o aumento da temperatura ou da umidade ou ambas é geralmente menos favorável ao vírus”.

Bryan apresentou em um slide os resultados de um experimento realizado no Centro Nacional de Análise e Contramedidas da Biodefesa.

Tempo de vida

No estudo é possível ver que o vírus diminui a quantidade de vida pela metade quando exposto a temperatura 21 a 24 graus Celsius com uma umidade de 20% em uma superfície não porosa, o vírus passa a ter a duração de 18 horas. Isso inclui todos os tipos de superfície.

Entretanto se nesta mesma temperatura o vírus for exposto a umidade de 80%, a meia-vida cai para 8 horas, se acrescentarmos a luz solar nessa equação a vida útil do vírus cai para apenas dois minutos.

Transmissão reduzida

A conclusão é que as condições do verão reduzem a transmissão do vírus, segundo Bryan. Mas o consultor fez um alerta, sobre a importância de se manter as medidas de distanciamento social. “Seria irresponsável dizer que percebemos que o verão matará totalmente o vírus e que as pessoas poderiam ignoram essas diretrizes”, afirmou o cunsultor.

Com informações:Correio Braziliense

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS