Courtney Whithorn de 20 anos é uma estudante universitária, contou que começou a roer as unhas depois de ter sido alvo de bullying na escola e que havia momentos em que era tão grave que em 2014 chegou a roer uma unha inteira.

A estudante teve que ter a ponta do dedo amputada após os médicos descobrirem um tipo raro de câncer, conhecido como melanoma subungueal lentiginoso acral.

A doença se manifesta devido ao ato de roer as unhas, segundo o Daily Mail. A unha começou a nascer em tom preto, algo que envergonhava a jovem australiana. Após quatro anos, Courtney decidiu ir ao médico e foi aí que descobriu que havia desenvolvido essa rara forma de câncer.

Courtney submeteu-se a uma primeira operação para tentar remover o tumor, mas após uma semana soube que não tinha dado o resultado esperado e que teria mesmo de amputar parte do dedo.

A jovem alertou sobre o perigo de roer as unhas “Quando descobri que roer minha unha era a causa do câncer que me abalou, na minha cabeça eu pensei ‘eu fiz isso comigo mesmo!’, mas obviamente eu sabia que não deveria ter essa mentalidade. Eu não pude acreditar. Quando você pensa em quantas crianças roem as unhas, é loucura o que me aconteceu!”

Corrtney agora aguarda para saber se a amputação foi suficiente ou se terá de se submeter a nova cirurgia.

Melanoma subungueal lentiginoso acral

Embora o melanoma subungueal lentiginoso acral seja raro em pessoas com tipos de pele mais claras, é mais comum em pessoas com peles mais escuras.

Esse tipo de câncer é localizado nas palmas das mãos, unhas, solas dos pés, sob as unhas e na mucosa oral.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Texto originalmente publicado no Daily Mail, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Saber Viver Mais

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS