Sammy Maina (Quênia) tem 25 anos, é o único de sua família que foi aprovado no ensino fundamental e, graças ao seu árduo trabalho carregando todo tipo de produtos com a carreta que seu pai lhe deu, hoje é Bacharel em Química . Além disso, já conseguiu seu primeiro emprego como profissional em uma grande agência de viagens do país.

O objetivo de muitas famílias de baixa renda é que alguns de seus membros possam fazer faculdade e se formar como profissional , a fim de ajudar com recursos e prestígio. Em quase todas essas situações há uma constante: o esforço tremendo por parte dos alunos , que na maioria das vezes extrapolam seus limites para emergir.

Estamos indo para Kikuyu (Quênia), onde um jovem de baixa renda chamado Sammy Maina viu todo o seu sacrifício nos últimos anos ser recompensado com o diploma de Bacharel em Tecnologia em Química Industrial e Aplicada.

FB: Maina Sammy

Sammy tem 25 anos e é o sexto de nove irmãos, o único na família que conseguiu estudar além do ensino fundamental. Diz que teve boas notas no primeiro estágio, mas que nunca havia dinheiro para continuar os estudos. Por esse motivo, uma instituição de caridade local apoiou seu caso e ofereceu-se para pagá-lo pelo ensino médio.

Ao mesmo tempo, naquele período do ensino médio, ajudava o pai vendendo garrafas de água para levar mais dinheiro para casa, negócio que continuou na fase universitária, como comentou em entrevista à Tuko . Mais tarde, ele migrou para um carrinho, com o qual fazia todos os tipos de transferências pagas.

“Eu levantava muito cedo e vendia água antes do início das aulas, depois ia para casa, trocava de roupa e ia para as aulas (…) à noite ia para casa, trocava e preparava ‘chapatis’, carregava coisas para gente do mercado ou batata descascada para proprietários de restaurantes ”.

—Sammy Maina para Tuko –

FB: Maina Sammy

Graças a esses pequenos empregos, Sammy conseguiu economizar o suficiente para pagar a faculdade e a compra de mais carrinhos , que deu para alugar para outras pessoas. Tendo se formado profissionalmente em 31 de julho, o jovem disse que o vendedor ambulante lhe ensinou que ele podia fazer qualquer coisa e que tinha flexibilidade para assumir qualquer trabalho.

Até hoje, ele continua cortando vegetais para as pessoas e diz que seu negócio de carrinhos ainda está funcionando; Além disso, graças a um concurso do qual participou, conseguiu construir uma pequena casa para sua mãe, de quem cuida e protege.

FB: Maina Sammy

“Os que são mais velhos do que eu não têm nenhuma formação, alguns nem sabem escrever o nome. Minha mãe me vê como sua única esperança por causa da luta que ela tem travado para me ver terminar a escola. “

—Sammy Maina para Tuko –

Felizmente, os esforços do jovem valeram a pena: seu caso chamou a atenção da Bonfire Adventures and Events , uma das maiores operadoras de turismo do Quênia, que lhe ofereceu um emprego para iniciar sua carreira profissional.

Parabéns ao Sammy por seu grande sacrifício! Certamente deve ser ótimo ver tudo o que você conquistou até agora.

 

Traduzido e adaptado de: USPOCL

RECOMENDAMOS