Por: Alexandre Cardoso

Sabe aquela barriguinha de inchaço abdominal que não vai embora de jeito algum? Ela pode ser consequência da nossa má alimentação, sendo provocada pela ingestão excessiva ou pela falta de certos alimentos no organismo.

A solução pode estar em uma dieta rica em alimentos que ajudam a secar o corpo é fundamental para combater o inchaço abdominal.

Conheça alguns alimentos que podem ser opções para incluir no seu cardápio no dia a dia:

Hortelã

É uma erva poderosa para tratar problemas estomacais como um todo, ajuda na perca de peso, alé de ser uma ótima opção para combater o inchaço através de um chá terepêutico.

Pepino

Um excelente alimento diurético, ajuda no emagrecimento, rejuvenescimento da pele, auxilia na dissolução de cálculos renais e na eliminação de toxinas do organismo.

Aspargo

Apesar de ser pouco consumido, esse alimento é um excelente diurético, além de contribuir para a eliminação de toxinas e aliviar o inchaço. Além disso, promove manutenção de bactérias boas no intestino.

Alface

Esse alimento é fonte natural de clorofila e flavonoides. Comer alface ajuda também na retenção de líquidos, portanto evita bastante o inchaço

Água de coco

Essa bebida ajuda muito no controle da pressão arterial por ter o potássio e o sódio na sua composição. Além de agir também como um diurético natural, elimando o excesso de líquidos no corpo.

Tomate

Riquissimo em potássio, ajuda na eliminação do excesso de sódio do corpo, favorecendo assim o combate do inchaço.

Salsa

Atua como antioxidante natural, evitando o envelhecimento natural e o aparecimento de doenças. Além de ter propriedade diuréticas.

Importante se Hidratar!

Mantendo-se hidratado e com o intestino em bom funcionamento, tais alimentos podem favorecer o emagrecimento. Mas o consumo não deve ser exagerado e deve ser pensado de acordo com a necessidade de cada pessoa.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS