Ele tem 27 anos, nasceu em Bombaim na India, e responde pelo nome de Raphael Samuel. Nos últimos dias tem estado nas notícias dos media internacionais por ter anunciado no seu Facebook pessoal que vai avançar com um processo contra os pais por ter nascido sem o seu consentimento.

Ele assegura que gosta muito do pai e da mãe e lamenta ter de os levar a tribunal, mas não consegue deixar passar em claro o fato de não ter sido consultado antes de nascer. “Eles tiveram-me para seu próprio prazer”, entende.

Raphael identifica-se com uma corrente de pensamento que advoga que a solução para resolver os problemas da Humanidade passa por parar o processo de reprodução do ser humano como espécie. Sobretudo porque as pessoas são colocadas no planeta Terra sem o terem pedido. É esta a motivação que está por trás da sua intenção de levar os seus próprios pais a tribunal.

Apesar de querer avançar pela via judicial, Raphael Samuel assegura que não guarda rancor dos pais. “Gosto muito dos meus pais e dou-me muito bem com eles”, ressalva. Mas o processo terá mesmo de ir em frente por considerar que o fato de não ter pedido para nascer tem de ser cobrado. “Quero dizer a todos as crianças indianas que nada devem aos seus pais“, alegou quando confrontado pelos meios de comunicação sociais locais.

“A minha vida tem sido incrível, mas não consigo encontrar motivo para colocar uma outra pessoa no mundo e obrigá-la a passar por aquele processo de ter de andar numa escola para depois seguir uma carreira, sobretudo quando essa pessoa não pediu para existir”, explica.

Além de avançar com um processo contra os seus pais, Raphael Samuel quer ainda, com esta atitude, passar a mensagem de que o ser humano não deve estar obrigado a gostar dos seus pais apenas pela sua posição familiar.

Veja o post, (tradução Facebook):

The mother speaks!I'm Raphael's mother and this is my response to the recent upheaval my son has created :1. I must…

Posted by Raphael Samuel on Tuesday, February 5, 2019

  • Siga a Revista Saber Viver Mais no Instagram aqui.
  • Curta a Revista Saber Viver Mais no Facebook aqui. 

Fonte:Observador

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS